terça-feira, 21 de março de 2017

NASA encontra nave perdida orbitando a Lua

Uma espaçonave indiana que perdeu contato com a Terra há oito anos foi redescoberta orbitando a Lua. Os radares terrestres da Nasa detectaram o sinal da minúscula espaçonave Chandrayaan-1 da Organização Indiana de Pesquisas Espaciais (ISRO), que deixou a Terra em 2008 e foi vista pela última vez em agosto de 2009.
Você pensaria que não seria tão difícil encontrar uma espaçonave que sabemos que está em órbita em torno do nosso satélite, mas é muito mais complicado do que parece. É difícil o suficiente para encontrar com precisão detritos espaciais na órbita da Terra, e graças ao brilho lunar, telescópios ópticos estão fora quando se trata de procurar objetos perdidos ao redor da Lua.
Screenshot_2
Sem mencionar que Chandrayaan-1 tem apenas cerca de 1,5 metros, e isso visto da Terra seria menos do que uma mancha minúscula em torno da Lua.
“Encontrar Chandrayaan-1 exigiu um pouco mais de trabalho de estilo detetive”, disse Marina Brozovic, cientista da NASA.
A equipe primeiro veio com as melhores previsões de onde a Chandrayaan-1 poderia estar. De acordo com onde ela foi vista pela última vez, sua melhor posição era que ela estaria a cerca de 200 km acima da Lua, em uma órbita polar.
Com base nessa estimativa, eles então transmitiram microondas para o pólo norte da Lua, a cerca de 380.000 km de distância, usando uma enorme antena no Complexo de Comunicações do Deep Space da Goldstone da NASA, na Califórnia.
A ideia era que se qualquer espaçonave pequena cruzasse os caminhos dessas microondas, eles seriam capazes de detectá-las – forma similar à maneira que podemos mapear o fundo dos oceanos da Terra com radares.
E foi exatamente isso o que aconteceu – a equipe detectou uma pequena espaçonave cruzando o caminho das microondas duas vezes em cerca de quatro horas, o mesmo período orbital que Chandrayaan-1 estava previsto a ter.
Isso não só significa que podemos ter um melhor rastreamento de qualquer espaçonave no espaço, mas também significa que podemos monitorar melhor quaisquer perigos que dirigem ao nosso caminho. [ScienceAlert]

Alexsandro Mota
Sou natural de Conceição do Coité, na Bahia e atualmente trabalho com a divulgação científica na internet, principalmente nas páginas Universo Racionalista e Mistérios do Espaço.
http://www.misteriosdoespaco.blog.br
http://www.misteriosdoespaco.blog.br/nasa-encontra-nave-perdida-orbitando-lua/

Convite para Reunião Plenária de Ufologia

      Na próxima sexta 31, estaremos retomando nossas reuniões de Ufologia no mesmo local e horário. Ou seja: A partir das 19 horas, na Rua Cel. Diogo Gomes 998, Centro – Sobral-CE. 
As pessoas que gostam do tema, estão convidados. A entrada é franca.
Fone para contato: 88 999210172  88 e 988477189
Abraço a todos.
Jacinto Pereira, presidente do CSPU

sexta-feira, 17 de março de 2017

Há 37 anos, o Brasil parava para recepcionar extraterrestres

O caso, que levou uma multidão de curiosos a Casimiro de Abreu (RJ), ganhou destaque nacional e internacional, inclusive com a vinda de pesquisadores da NASA

A comoção mundial foi tão grande que a NASA, Agência Espacial norte-americana, enviou pesquisadores à região para acompanhar a recepção aos jupterianos - Foto: Divulgação/ NASA
A comoção mundial foi tão grande que a NASA, Agência Espacial norte-americana, enviou pesquisadores à região para acompanhar a recepção aos jupterianos - Foto: Divulgação/ NASA
Há exatos 37 anos, em 8 de março de 1980, o Brasil e o mundo pararam para acompanhar uma recepção de alienígenas em Casimiro de Abreu. Localizada no interior do Rio de Janeiro, a cidade recebeu uma multidão de curiosos para assistirem à chegada de extraterrestres vindos de Júpiter. Juntamente com o primeiro contato, os jupterianos trariam de volta quatro pessoas que haviam sido abduzidas anos antes.
A curiosa história da chegada de discos voadores à cidade foi anunciada ao ´mundo´ por Edílcio Barbosa, mais conhecido como "Mensageiro de Júpiter". A notícia, que mais parecia o enredo de um filme de ficção científica, tinha data e hora marcada para o pouso dos discos voadores e atraiu milhares de pessoas a pacata cidade, que ficaria conhecida pelo caso. Os jupterianos chegariam a Casimiro de Abreu no dia 8 de março, pontualmente, às 5h20 da manhã.
A chegada deles gerou uma enorme expectativa, que atraiu a imprensa brasileira e internacional. O caso teve cobertura em rede nacional, sendo noticiado numa longa reportagem no Fantástico, da Rede Globo, além de diversos telejornais regionais e mídia impressa. A comoção mundial foi tão grande que a NASA, Agência Espacial norte-americana, enviou pesquisadores à região para acompanhar a recepção aos jupterianos. Ao todo, mais 10 mil curiosos foram para a cidade no dia 8 de março de 1980, quase metade da população local que era de aproximadamente 20 mil habitantes.
Como se sabe, os jupterianos nunca pousaram na cidade e frustraram uma multidão que aguardava ansiosamente pelos discos voadores. As milhares de pessoas que madrugaram no local começaram a vaiar Edílcio Barbosa, conhecido como porta-voz dos extraterrestres, e na sequência se iniciou um tumulto, que obrigou o "Mensageiro de Júpiter" a sair escoltado pela polícia militar. Na época, ele alegou que os extraterrestres não pousaram na cidade devido ao grande número de curiosos e que eles haviam transferido a "chegada" para uma cidade vizinha, alguns dias depois. De novo, eles não apareceram no local.
O sucesso do "Mensageiro de Júpiter" foi tão grande, que o caso ganhou recentemente um documentário contando a curiosa história. Chamado de ´Efeito Casimiro´, o curta-metragem dirigido por Clarice Saliby, ganhou prêmios nacionais e internacionais. O documentário foi lançando em 2013, em Nova York, nos Estados Unidos.

Recepção aos Jupterianos

A recepção organizada aos extraterrestres foi digna de um primeiro contato da humanidade com vida fora da Terra. Com a equipe da Defesa Civil do Estado e o hospital local de prontidão, a cidade de Casimiro de Abreu estava em festa para recebê-los. O tratamento VIP oferecido aos jupterianos fez até a prefeitura local instalar um orelhão, um luxo para época, próximo a pisa de pouso.
As homenagens não terminaram por aí. Também foi organizado um passeio em carro aberto pela cidade, um café da manhã para os extraterrestres e o dia se encerraria com um Baile Oficial. Como lembrança da Terra, o então prefeito de Casimiro de Abreu comprou uma enciclopédia com a história da humanidade para presentear os jupterianos.
Dennys Marcel

quinta-feira, 9 de março de 2017

Teoria da Conspiração: O homem nunca pisou na Lua

Segundo uma popular teoria da conspiração, a aterrissagem da Apollo 11 no nosso satélite natural em 20 de julho de 1969 teria sido filmada em um deserto dos EUA. Será?

Por Diogo Antônio Rodriguez
homem-lua ILUSTRA George Schall
Segundo uma popular teoria da conspiração, a aterrissagem da Apollo 11 no nosso satélite natural em 20 de julho de 1969 é pura mentira. Teria sido filmada em um deserto dos EUA. Será?
1) Fotógrafo fantasma
Existem muitas fotos do momento em que os astronautas da Apollo 11 passearam pela Lua, mas em nenhuma se vê alguém segurando uma câmera. Numa das mais famosas, dá para notar no visor de Buzz Aldrin o reflexo de Neil Armstrong e do módulo lunar… mas nada da máquina fotográfica! Mais uma prova de que o evento foi uma armação do governo
2) Porta-bandeira
Os principais indícios da farsa estariam nas fotos e filmagens do evento, feitas pela própria Nasa. Por exemplo: quando um astronauta finca a bandeira dos EUA, ela tremula levemente. E o céu está completamente negro. Como isso é possível, se na Lua não há atmosfera – portanto, sem ar para mover a flâmula ou nuvens para bloquear a visão das estrelas?
+ Teoria da Conspiração: Toda pessoa tem uma cópia maligna no mundo?
+ Teoria da Conspiração: Os EUA fizeram um navio da Marinha desaparecer?
3) Luz e sombra
Na Lua, as sombras são mais escuras do que na Terra, porque há uma única fonte de luz:o Sol. Apesar disso, nota-se que os astronautas não somem quando ficam à sombra do módulo lunar. Em algumas fotos, dá para ver que duas sombras estão indo em direções diferentes. Teriam elas sido causadas por fontes de luz artificiais – como os holofotes de cinema?
4) Bem de levinho
“Segundo Bill Kaysing, autor do livro We Never Went to the Moon, os EUA não tinham tecnologia para mandar o homem à Lua”, explica o jornalista Sérgio Pereira Couto, expert em teorias da conspiração.O próprio módulo lunar da nave Apollo 11 causa suspeitas: se ele pesava 15 toneladas, como poderia ter deixado marcas tão leves no solo arenoso da Lua?
5) Jogo de cena
As peças que compõem o cenário de um filme precisam estar sempre no mesmo lugar, para que não haja erros de continuidade entre uma cena e outra. Para isso, um dos métodos é marcar a posição dos objetos com letras. Pois é isso que se vê numa foto de um dos astronautas próximo ao jipe lunar: uma pedra que claramente tem uma grande letra C estampada
+ Teoria da Conspiração: Michael Jackson foi assassinado?
+ Teoria da Conspiração: Os rastros deixados por aviões podem ser prejudiciais?
6) Digno de Hollywood
Segundo algumas teorias, a missão lunar teria sido filmada pelo cineasta Stanley Kubrick (2001: Uma Odisseia no Espaço) em um deserto dos EUA. Só a areia do deserto, bem molhada, resultaria nas pegadas bem definidas, quase perfeitas, deixadas pelos tripulantes da Apollo 11. No nosso satélite natural, isso seria impossível, pois lá não há água
7) Restos de nada
Ao ir embora de sua aventura espacial, a Nasa deixou um monte de coisas para trás: instrumentos,o módulo lunar Eagle e a famigerada bandeira. Numa noite de lua cheia, tire seu telescópio do armário e mire-o para a Lua. Você não vai conseguir ver nada desse entulho. Nem você nem qualquer observatório conseguem ver os restos da Apollo 11
8) A coisa tava russa
Mas por que os EUA se arriscariam a enganar o mundo todo com uma tramoia como essa? Por causa da Corrida Espacial, um dos aspectos mais competitivos da Guerra Fria. Nos anos 50 e 60, EUA e URSS tentavam provar ao mundo quem era mais avançado. E o Tio Sam estava perdendo a briga: os soviéticos tinham enviado o primeiro homem, Iuri Gagarin, ao espaço
+ Teoria da Conspiração: Há segredos escondidos na Mona Lisa?
+ Teoria da Conspiração: O ataque ao Pentágono em 11/9 foi forjado?
EXPLICANDO A VERDADE
Justificativas racionais para a maioria das suspeitas
– A bandeira tremeu porque o astronauta torceu o suporte onde ela estava
– O módulo não deixou marcas porque pousou suavemente
– As estrelas não aparecem devido à luz que a superfície da Lua reflete,oque explica também as sombras “mais claras” e as fontes de luz difusas
– A marca das botas dos astronautas foi resultado dos grãos finos (como os de solos vulcânicos) que compõem o chão lunar
– É impossível ver os restos porque eles estão longe do alcance de qualquer telescópio,na terra ou no espaço
– A pedra com o C é um erro na revelação do filme ou simplesmente uma armação, adulterada quimicamente
– Os EUA não vão mais a Lua porque não há necessidade: a Guerra Fria acabou, nada lá pode ser explorado comercialmente e as missões espaciais são muito caras
CONSULTORIA Sérgio Pereira Couto, escritor e jornalista
FONTES Sites Nasa, BBC, Time, National Geographic e Washington Post
http://mundoestranho.abril.com.br/historia/teoria-da-conspiracao-o-homem-nunca-pisou-na-lua/

segunda-feira, 6 de março de 2017

A volta dos Vimanas

6 de março de 2017
Ataque de Vimana de "Onda Quantum" advertida em andamento com a Rússia temerosa e sobre " Bomba Tsar"
Um frio relatório do Ministério da Defesa (MoD) que circula no Kremlin hoje afirma que o presidente Putin acaba de autorizar a "rápida reconstrução e implantação" da temida "Bomba Tsar " para ser usada contra uma enorme "Vimana" de 4.0 quilômetros de extensão "Que a partir de sua atual localização no Oceano Pacífico, lançou um ataque de" Onda Quântica "contra a Terra por" motivos e / ou razões "desconhecidos. [Nota: Algumas palavras e / ou frases que aparecem entre aspas neste relatório são aproximações em inglês de palavras / frases russas que não têm contrapartida exata.]

Com 2,5 milhas de comprimento circular "Vimana" atualmente viajando nas profundezas do norte do Oceano Pacífico
De acordo com este relatório, um "Vimana" é um antigo "objeto ar-mar artesanal" de poder inimaginável e possuindo propriedades anti-gravidade cuja primeira descoberta moderna foi feita, em 2010, pelas forças militares dos EUA no Afeganistão e que matou mais de 50 pessoas ao extraí-lo de seu "templo de" ocultação.


Apenas um ano após a descoberta deste antigo "Vimana" no Afeganistão, este relatório continua, outro, mas mais massivo, "Vimana" irrompeu do fundo oceânico Pacífico, em 2011, desencadeando o terremoto de Tōhoku e tsunami no Japão que matou mais de 15.000 - e que em 2013 se estabeleceram nas profundezas do Oceano Pacífico ao largo da costa do Alasca, causando um remendo circular de calor (chamado "blob") que começou como um pequeno pedaço de água e cresceu a 500 milhas (805 quilômetros)e é a anomalia de temperatura maior e mais longa da história.

O "blob" uma anomalia de calor em torno do submerso "Vimana"




Ao atravessar as profundezas do norte do Oceano Pacífico, este relatório detalha, este "Vimana" começou a "desdobrar / ejetar" o que foram descritos como "medusas cósmicas" como objetos que se espalharam até o sul da Austrália - com a primeira fotografia desta "Criatura / dispositivo" sendo liberado ao público por cientistas americanos na semana passada.

Medusa cósmica "criatura / dispositivo" descoberta em profundidades do Oceano Pacífico em 21 de fevereiro de 2017
Este relatório diz que esta "criatura / dispositivo" de água-viva cósmica foi descoberta alarmantemente emanando características da "onda quântica" anteriormente desconhecidas para a ciência e que incrivelmente têm a capacidade de mudar o DNA dos seres vivos.
Embora não seja amplamente conhecido fora dos círculos de pesquisa científica, este relatório explica que, desde 2008, os cientistas descobriram que o DNA começa não como uma molécula, mas como uma forma de onda quântica - e que apenas 1 grama que pode armazenar 1.000.000.000 de terabytes de dados para 1000+ anos.

Quer saber mais? Clique aqui.


Em relação à razão pela qual estas ondas quânticas de DNA que emanam "criaturas / dispositivos" de medusas cósmicas foram "ejetadas / desdobradas" deste "Vimana", este relatório explica alarmantemente, parece ser uma missão de terraformatação da vida em mar profundo em todo o Oceano Pacífico e cujas "experiências" começaram a ser descobertas nos últimos meses em nações em toda esta região --- incluindo na Rússia onde uma misteriosa serpente como enguia e um peixe com asas foram encontradas, na Austrália, onde híbrido camarão-peixe e outras bizarras criaturas agora estão sendo encontradas, uma misteriosa besta branca cabeluda lavando em terra nas Filipinas, e um misterioso alienígena de uma criatura gigante do mar cinzento como uma gota de água em uma praia australiana apenas na semana passada.

Peixe com asas misterioso descoberto na Rússia

Misterioso camarão-peixe híbrido descoberto na Austrália

Misterioso bicho peludo branco descoberto nas Filipinas

Criatura alienígena gigante gigante misteriosa descoberta na Austrália




Segundo o relatório, alguns médicos-cientistas do MoD especulam que poderia estar relacionado com os estranhos acontecimentos dentro de nossa Terra que atualmente está experimentando um aumento chocante da atividade vulcânica a um nível nunca registrado - E que causou, no mês passado, o Ministério da Defesa a ordenar a evacuação imediata de todos os navios desta região, e como informamos em nosso artigo de 11 de fevereiro intitulado "Maior" Sentinela de Baleia "Encalhe na História Humana Impulsa a Evacuação da Marinha Russa

Encalhe em Massa baleias sendo relatados em praias de todo o mundo
Mas para a preocupação mais séria do Ministério da Defesa, e fazendo com que o presidente Putin ordene a ativação e a implantação da "bomba tzar" hoje, este relatório conclui, há novas evidências emergindo que outro massivo "Vimana" está despertando de sua hibernação sob a Antártica - e cuja energia gravitacional é tão poderosa, sua força agora está sendo estendida para mais de 300 milhas (483 quilômetros) no espaço.

Energia gravitacional maciça (vermelho) emanando do despertar "Vimana" sob a Antártida
WhatDoesItMean.Com.
https://undhorizontenews2.blogspot.com.br/

Há 52 anos, Valentina Tereshkova se tornava a primeira mulher a ir para o espaço

Valentina Tereshkova
Enviar por Email
https://canalte.ch/SXFT
inShare
O programa espacial da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) foi responsável por levar o primeiro homem ao espaço, o cosmonauta Iuri Gagarin, a bordo do Sputnik em 12 de abril de 1961.
Apenas dois anos depois, em 16 de junho de 1963, os soviéticos também foram responsáveis pela primeira viagem de uma mulher ao espaço: a operária da indústria têxtil Valentina Tereshkova, a bordo da Vostok VI.
Com apenas 26 anos de idade, Tereshkova foi a escolhida para ser a primeira mulher a ir ao espaço em um voo solo. A paraquedista não tinha formação universitária, mas se encaixava perfeitamente no perfil exigido pela agência espacial russa — idade inferior a 30 anos, menos de 1,70 m de altura, pensando menos de 70 kg, saúde em dia, experiência de pelo menos seis meses com paraquedismo e, ainda, afinidade ideológica com o Partido Comunista.
O processo todo foi iniciado de forma totalmente secreta, reunindo inicialmente cinco mil candidatas para a viagem a bordo da nave Vostok VI. Ao final, apenas cinco haviam sido aceitas como cosmonautas: duas engenheiras, uma professora e uma tipógrafa além de Valentina Tereshkova, uma operária de fábrica que, por sua experiência prévia em paraquedismo, foi responsável pela criação do Clube de Paraquedismo Amador em seu local de trabalho.

Da fábrica para o espaço

Filha de um piloto de trator e de uma operária da indústria têxtil, Tereshkova passou por um longo treinamento de sete meses para ser a escolhida e, enfim, ir ao espaço. Ao lado dela, a última “finalista” desse processo seletivo foi a engenheira Valentina Ponomaryova, pois a ideia inicial era enviar duas mulheres ao espaço, o que não acabou acontecendo.
Valentina TereshkovaValentina Tereshkova: a primeira mulher a viajar para o espaço. (Foto: Roscosmos)
A escolha por Tereshkova se deu diretamente por Nikita Krushev, então presidente da União Soviética e líder máximo do Partido Comunista do país. Apesar de Ponomaryova ter se saído bem em inúmeros testes físicos, contou pontos para Tereshkova a sua atuação como líder da União da Juventude Comunista da URSS e também sua experiência com paraquedismo — a piloto seria ejetada assim que a nave fizesse a reentrada e pousaria com a ajuda de um paraquedas pessoal.
No dia 16 de junho de 1963, Valentina partia com a Vostok VI de Baikonur e entrava para a história como a primeira mulher a ir ao espaço. Ela permaneceu em órbita por quase três dias, totalizando 71 horas de voo espacial, tempo durante o qual ela completou 48 órbitas.

Tensão e glória

O retorno de Tereshkova à Terra esteve cercado de problemas, a começar pela reação física de seu corpo ao espaço. Durante seus quase três dias de órbita, ela foi acometida por náuseas, vômitos, dores na canela direita e desconforto psicológico. Na descida, sua nave perdeu comunicação via rádio com o solo e, ao ejetar após entrar na atmosfera terrestre, esteve próxima de cair em um lago.
Em suas memórias, a cosmonauta relata que temeu por sua vida, pois, se caísse em um lago, não teria condições físicas de nadar até a borda e provavelmente morreria afogada. Mas um forte vento mudou a trajetória do paraquedas e ela pôde aterrissar em terra firme, tendo apenas algumas escoriações no rosto devido ao choque do impacto.
Depois disso, porém, Tereshkova recebeu as duas principais condecorações da URSS, a Herói da União Soviética e a Ordem de Lênin. Em 1969, formou-se em engenharia na Academia Militar da Força Aérea de Zhukovsky e saiu do programa espacial a fim de entrar para a vida política do país euroasiático. Nessa ocasião, ela recebeu uma comissão honorária da Força Aérea Russa e se aposentou como major-general.
Valentina TereshkovaIuri Gagarin, Pavel Popovich, Valentina Tereshkova e Nikita Krushev em cerimônia de homenagem à cosmonauta após seu retorno à Terra (Foto:V. Malyshev)
Entre 1966 e 1991, quando a URSS foi dissolvida, Valentina Tereshkova teve grande destaque na vida pública soviética, tornando-se presidente do comitê de mulheres soviéticas e membro do Soviete Supremo, o parlamento do país socialista.

Propaganda soviética

O espaço foi apenas mais um dos palcos em que Estados Unidos e União Soviética se enfrentaram ao longo de toda a Guerra Fria. Assim como aconteceu com as conquistas espaciais e militares dos EUA, enviar uma mulher ao espaço serviu de propaganda da capacidade do programa soviético, já pioneiro em enviar o primeiro homem ao espaço.
Para se ter uma ideia, o tempo que Tereshkova permaneceu em órbita era maior do que o tempo somado de todos os astronautas estadunidenses que haviam ido ao espaço até então. Prova do viés propagandístico da coisa está também na não revelação de problemas técnicos apresentados pela nave até a extinção da URSS.
Fontes: History.com, ABC News, Astronautix
Matéria completa:
https://canaltech.com.br/materia/ciencia/ha-52-anos-valentina-tereshkova-se-tornava-a-primeira-mulher-a-ir-para-o-espaco-43337/
O conteúdo do Canaltech é protegido sob a licença Creative Commons (CC BY-NC-ND). Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.
https://canaltech.com.br/materia/ciencia/ha-52-anos-valentina-tereshkova-se-tornava-a-primeira-mulher-a-ir-para-o-espaco-43337/

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO


Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)
Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.

Ufo é fotografado na madrugada
Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.
Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando, de repente, um objeto voador não identificado sobrevoou Lavras de norte a sul, de leste a oeste, deixando em polvorosa os boêmios, os motoristas de táxi, os policiais que faziam a ronda naquela noite e algumas pessoas que transitavam pelas ruas da cidade.
Era um disco voador de aproximadamente 50 metros de diâmetro, sendo documentado pelas lentes da câmera do médico Rêmulo Tourino Furtini que depois teve o seu material requisitado pelo Exercito e pela Força Aérea Brasileira (FAB) e, posteriormente, entregue aos cuidados da Nasa, nos Estados Unidos. O material teria sido entregue “para pesquisas”, tanto as fotos, quanto o equipamento utilizado: uma câmera simples e sem recursos técnicos.
O fato foi noticiado em todo o mundo, inclusive no Brasil, apesar de a principal foto (que mostrava um prato com uma pequena cúpula em cima e outra maior em baixo, exibindo suas pequenas janelas) não ter sido publicada em nenhum jornal ou revista brasileira, já que o Brasil passava por momentos difíceis com o regime militar que vivia seus momentos áureos.
Revista ‘O Cruzeiro’ entrevista
Na revista ‘O Cruzeiro’, o mais importante órgão de informação do país naquela época, a matéria, relatando o fato, ocupou duas páginas, com o título “Mistérios nos céus de Lavras” e teve até mesmo uma chamada na capa: “O disco voador mineiro”, dividindo espaço com a atriz Elizabeth Taylor, protagonista do clássico “A Dama das Camélias”. Outros importantes órgãos de imprensa do Brasil também registram o fenômeno, como as revistas Manchete, Fatos&Fotos,Realidade, além de vários jornais.
O médico Rêmulo Tourino Furtini que fotografou o objeto, concedeu entrevista à revista O Cruzeiro, onde declarou que, “Passava pouco de meia noite, já 1º de junho. Na sala de minha casa e em minha companhia estavam minha esposa, sua mãe e uma cunhada. Nisso, o telefone toca. Meu sogro me informa que um objeto estranho estava nos céus da cidade. Fui até a varanda, vi o céu nublado e em meio à escuridão, lá estava a coisa, com um brilho alaranjado no centro e branco na periferia. Não poderia ser nenhum satélite e nem uma estrela. Disso tenho certeza. O objeto não identificado estava mais ou menos 200 metros acima da torre da Rádio Cultura (na época, no bairro Nova Lavras) e distante de mim, uns dois quilômetros”.
Por sorte, o médico tinha em seu poder uma câmera fotográfica. Conforme contou a O Cruzeiro, “Lembrei que tinha um filme virgem na máquina. Corri para dentro. Voltei com a máquina e bati a primeira chapa rapidamente, temendo que o objeto sumisse. Sou fotógrafo amador e, portanto, sem maiores conhecimentos técnicos a respeito. Na máquina estavam estes números: distância 1,4: diafragma: 80 e velocidade: 60. O filme tinha a sensibilidade de 125 asas. Pois bem. Depois de fazer a primeira fotografia, voltei até a sala de minha casa, regulei a máquina novamente e bati novas fotos, em várias velocidades e aberturas de diafragma. Assim, consegui pelo fato de o objeto permanecer parado por alguns minutos”.
O Dr. Rêmulo contou que após fazer as fotos, o objeto fez movimentos estranhos e desapareceu, “Depois, ele deslocou-se para a direita, para cima, para baixo e foi desaparecendo. Movimentos estes, feitos com bastante velocidade. Não dormi naquela noite. Se contasse para alguém, iam me chamar de Louco. Pedi em casa que ninguém comentasse o fato. Com isso, retive o filme por dois dias em minha casa, aguardando o pronunciamento de outras pessoas que não de minha família sobre a estranha visão”.
Fotógrafo fala sobre o filme
O conceituado médico Rêmulo Tourino Furtini passou dois dias guardando o filme em segredo, até que percebeu a grande quantidade de pessoas que haviam visto o UFO sobrevoando os céus de Lavras. Nas rodas de conversa não se falava outro assunto. O filme foi então encaminhado ao Foto Flash, estabelecimento do fotógrafo Paulo Vítor Neves, que também falou à reportagem de O Cruzeiro: “De fato, em dias da semana passada fui procurado pelo Dr. Rêmulo que afirmou ter visto um clarão no céu e um objeto estranho, que havia fotografado. Pediu-me para revelar e verificar se continha alguma coisa, pois não tinha certeza se conseguira gravar algo no filme. Entrei para o laboratório e, depois de alguns minutos, levantei o filme ainda molhado e tentei vê-lo através de uma luz. Pensei que estivesse toda branca a chapa. Mas verifiquei mais devagar e observei certos pontos. Chamei o Dr. Rêmulo, mostrei-lhe o resultado e ele saiu dando pulos de alegria. Quanto ao que foi fixado no filme, não posso adiantar o que seja. Apenas acrescento que, qualquer outro objeto não teria condição de ser fotografado em noite escura como aquela, pois o que apareceu na foto foi a luz da coisa. E só”.
Outras testemunhas
Muitas outras testemunhas puderam observar o fenômeno que, segundo consta, voltou a acontecer nos seguintes dias 02 e 03 de junho. Os repórteres da revista O Cruzeiro chegaram a relacionar até 100 pessoas idôneas que afirmaram ter visto o objeto cintilante cruzando o céu da cidade naquela madrugada. Entre estas pessoas estava o engenheiro civil José Alfredo Unes, então, chefe de setor da Rede Ferroviária Oeste de Minas, que chegou até mesmo a fazer desenhos do que viu para algumas revistas do exterior.
Ele conta que regressava do Clube de Lavras com sua família, quando foi surpreendido com aquela estranha visão, e assim, narrou a O Cruzeiro: “O objeto apareceu na minha rua e possuía uma luminosidade tão grande que não dava para vê-lo além da luz que o envolvia. Então apanhei uma garrafa de cerveja, quebrei e vi aquilo através do vidro partido. Fiquei impressionado e com as pernas tremendo, diante do objeto. Tinha uns 50 metros de diâmetro, uma luz vermelho-alaranjada, uma forma elíptica e uma espécie de cabine virada para baixo saindo de seu interior. Quando se movimentava, somente aparecia sua formação elíptica. Era um objeto não identificado. Não tinha condição de ser nenhum fenômeno meteorológico. Depois, pensando que estivesse tendo visões, procurei um medico. Lembrei-me então, que estava acompanhado por minha filha Ana Maria, que viu aquele objeto deslocando-se em toda direção, em sentido vertical, e cujo clarão vinha em nosso caminho. Também o viram, meu vizinho Paulo Araújo e alguns rapazes que voltavam de uma festa”.
Sargento e atiradores do TG se aproximaram do objeto
O disco voador sobrevoou a sede do Tiro de Guerra, o Colégio N.S. Aparecida, o Jardim São Paulo e chegou até mesmo, a fazer um pouso em um pasto, exatamente onde hoje é a residência do analista de sistemas Mateus Fantazzini, no bairro Centenário.
O referido pouso foi testemunhado por seis atiradores do TG e pelo segundo sargento França Ferreira, então comandante do Tiro de Guerra 04-264. O depoimento do sargento França – depois de autorizado pelo Exército Brasileiro – para O Cruzeiro, foi o seguinte: “Estávamos na sede do Tiro de Guerra, quando um amigo nosso parou de carro indagando se havíamos visto o disco. Passaram outros automóveis e então resolvemos ir também. Vimos o objeto e passamos a discutir. Uns diziam que era uma estrela, outros achavam que era uma luz de um carro. Fomos mais adiante, até onde nosso automóvel pudesse andar. Em certo trecho, saímos correndo em direção à coisa. Lá estava ela, à nossa distância, pouco mais de 100 metros. À nossa frente, uma cerca de arame farpado impedia a passagem. O objeto estava quase a um metro do chão, envolvido por uma luz avermelhada muito forte, impedindo que pudéssemos distinguir sua forma. O atirador Carlos Renato de Souza tentou pular a cerca para observar mais de perto. Impedi a manobra. Então resolvemos dar a volta. Aí, o estranho objeto deu uma volta de 80 graus, na altura da estação da Cemig e foi brilhar dezenas de quilômetros mais abaixo, na altura da estrada que liga Lavras a Ijaci, de onde desapareceu”.
Dos seis atiradores, três se aproximaram mais do objeto voador, chegando a estar a menos de cem metros de distância do UFO, separados apenas por uma frágil cerca de arame farpado; são eles: Júlio César Vitorino, Ronaldo de Sousa e Carlos Renato de Souza, o conhecido Nanato, irmão do ex-prefeito, ex-deputado e ex-secretário de Estado Maurício Pádua de Souza.
Nanato levou os repórteres de O Cruzeiro ao local exato da descida da suposta espaçonave, onde surgiu um enorme círculo que chegou a queimar a vegetação. Lá, constatou-se o tamanho do objeto, medindo a sua circunferência.
Fatos despertam interesses
O fato, além de ocupar espaço nos principais veículos de comunicação do Brasil e até do mundo, foi alvo de estudos de várias organizações do Brasil, Europa e Estados Unidos. Despertando até hoje, interesse em pesquisadores diversos.O médico Rêmulo chegou a receber correspondências de vários países do mundo, inclusive, do extinto bloco soviético, todos querendo saber da foto desaparecida.

Dr. Rêmulo Tourino Furtini
Depois de algum tempo e inúmeros estudos de especialistas da Nasa, Exército Brasileiro e FAB, a informação era de que a luminosidade do estranho objeto, não se tratava simplesmente de qualquer luz, mas de uma radiação, descartando de vez o que poderia ser eventualmente taxado fraude pelos incrédulos.
Geul conversou com Dr. Rêmulo em 2000
Em 02 de janeiro de 2000, a equipe de investigação do Grupo de Estudos Ufológicos de Lavras (GEUL) procurou o Dr. Rêmulo Tourino Furtini com o propósito de obter mais informações sobre o notório avistamento de 1º de junho de 1969. O grupo foi muito bem recebido pelo Dr. Rêmulo que confirmou todas as declarações concedidas na época. Acrescentou que as Forças Armadas enviaram-lhe, através de um agente, um detalhado questionário sobre seus hábitos, costumes e estado de saúde, cujo objetivo era traçar o perfil psicológico, verificando a idoneidade do médico. Ele disse que não sofreu nenhuma espécie de ameaça.
Dr. Rêmulo acrescentou também ao GEUL que a foto mais nítida, na qual se podia ver o disco voador, foi confiscada pelo Exército. Nela, notava-se claramente detalhes, tais como, uma janela ao redor da cúpula superior da nave e o mais interessante: uma silhueta de forma aparentemente humana aparecia numa das janelas. Afirmou, que a nave ao partir se posicionou verticalmente e saiu em disparada rumo ao infinito.
Quanto ao material confiscado e enviado à Nasa, Dr. Rêmulo disse nunca ter recebido relatório ou dossiê que esclarecesse o seu conteúdo. Contudo, pôde ficar com as fotografias em papel que mostram a luz em movimento.
Apêndice:
O disco voador que decolou**
Por Pepe Chaves
O caso ocorrido há exatos 40 anos na cidade de Lavras, no Sul de Minas, reúne muitos elementos comuns a um caso ocorrido na mesma época, em Itaúna, região Centro-Oeste do estado. Além de a época ser a mesma, a descrição do formado objeto, suas luzes, sua velocidade e a forma em que ele decolou e sumiu no espaço, segundo as testemunhas itaunenses, coincidem bastante com as descritas pelo Dr. Rêmulo e demais testemunhas de Lavras. Some-se a isso, o fato de ter ocorrido notórios avistamentos de UFOs na região Centro-Oeste naquele ano de 1969. Isso poderá nos levar a crer que, pode se tratar de um mesmo objeto ou seria muita coincidência que dois discos voadores distintos estivessem a vagar pelas mesmas plagas mineiras naquela época.
Porém, o ocorrido em Itaúna, somente duas testemunhas puderam presenciar o legítimo disco voador, diga-se, de uma forma incomum para a maioria dos avistamentos de casos envolvendo UFOs, como veremos adiante. Em verdade, eles presenciaram a decolagem de um disco voador, a qual nos foi descrita com precisão quando estivemos com uma das testemunhas. Ambos são profissionais liberais conhecidíssimos em Itaúna, de idoneidade incontestável e que pagaram um preço alto por tornar pública a experiência que vivenciaram: a ridicularização, inclusive, por parte do prefeito da cidade naquela época.
O fato ocorreu numa das margens da Barragem do Benfica, no ano de 1969, cujo mês infelizmente a testemunha não conseguiu se lembrar. Foram protagonistas deste fabuloso avistamento, Clauto Nogueira Araújo, que nos prestou o depoimento a seguir, e o empresário Nico Viana. Noite escura, os dois amigos pescavam na barragem que abastece a cidade, em um aterro, próximo à fonte da Água Viva, água mineral extraída em Itaúna e comercializada em todo o Brasil.
Eles se encontravam a cerca de 50 metros de distância um do outro, pescando, quando Nico perguntou ao Clauto se ele havia visto uma luz descer atrás de uma montanha bem próxima deles. Clauto respondeu que não viu nada e Nico afirmou que desceu algo por lá e poderia ser um avião, porém, não ouviram barulho algum. Naquele mesmo instante, quando olhavam para o local onde Nico havia visto a luz descer, eis que surge por lá, curiosamente, um cachorro correndo. O animal, que se encontrava a cerca de uns 200 metros deles, estava latindo e chorando muito alto, como que em pânico total, conforme nos descreveu a testemunha.
Para Clauto, aquele cão só poderia ter “apanhado” (atingido de alguma forma), pois parecia chorar de dor, sendo afugentado por algum motivo. Ele nos contou que, “O cachorro saiu feito louco e um negócio, subiu… Aquilo era redondo, espécie de dois pratos juntos, um de boca para o outro, cheio de furinhos no meio dos dois. E o Nico me falou: ‘Nossa Senhora, olha um disco voador ali!’. Nico veio correndo para o meu lado, eu vi aquilo… Parece, que já estava pousado lá, ele foi subindo, uns 20 metros, ficou planando no ar e foi virando, virando (a parte mais fina foi apontando para o alto…) e ele partiu para o céu, numa velocidade que é uma coisa doida. Nessa altura, nós já tínhamos deixado nossas coisas de pescaria lá e estávamos correndo. Já pensou? À noite, você num buraco daquele? Subimos, o carro estava lá em cima”.
Apesar do tamanho susto e da pressa em abandonar o local, Clauto afirmou que durante o momento em que “a coisa” foi subindo, deu para reparar determinados detalhes, que ele nos descreveu, “O objeto era enorme, do tamanho de uma casa, a luminosidade interna, vermelho-escura, vazava pelos buraquinhos que ele possuía no meio, tive a impressão que havia uma espécie de forno lá dentro”. Ele disse que não deu para reparar na cor do objeto, porém, a mesma aparentava ser acinzentada, segundo ele.
Clauto Nogueira informou que o ufólogo mineiro Húlvio Brant Aleixo esteve em Itaúna (Húlvio também esteve em Itaúna no início dos anos 70, para pesquisar o caso das famosas “Luzes do Sítio do Dr. Virgílio”), poucos dias depois para pesquisar seu caso na época.
Ele contou que Húlvio Aleixo lhe mostrou um catálogo com diversos modelos de discos voadores, nele Clauto encontrou exatamente aquele avistado ao lado de Nico, “Eu me arrepio só, de lembrar, veja…”, disse, me mostrando o seu braço arrepiado. O ufólogo de Belo Horizonte explicou que, provavelmente, eles teriam presenciado a ação de uma nave-mãe, que estaria soltando ou recolhendo sondas naquele local ermo. É interessante lembrar que antes de avistarem a grande nave, Nico havia alertado para uma luz que teria descido por trás da serra, o que pode se tratar de algum tipo de periférico, ou sonda (conforme narrados em diversas ocorrências) retornando à suposta nave-mãe.
No entanto, Clauto Nogueira ressalta que, tanto ele, quanto Nico, foram ridicularizados à época, por tornarem pública aquela experiência. “Muita gente nos criticou, falando que estávamos doidos, vendo disco voador. O então prefeito de Itaúna, Sr. Jadir Marinho de Faria (já falecido) foi um dos que mais riu dessa história e nos criticou naquela época”, contou.
Ele disse que se pudesse voltar atrás, não teria tornado a experiência pública, pois o preço de o terem feito, fora demasiadamente alto. Enfatizou que foi muito desagradável o fato de terem sido taxados de “loucos ou lunáticos”, por terem visto algo real, embora, notoriamente, ambos sejam cidadãos exemplares na comunidade em que vivem.
* A matéria ‘A noite em que Lavras parou para ver um UFO’ foi enviada pela GEUL (Lavras-MG) e publicada originalmente na revista UFOMANIA (Pepe Arte Viva Ltda.), nº 02, de maio de 2000. A UFOMANIA era uma revista impressa distribuída aos principais ufólogos em atividade do país e editada por Pepe Chaves, editor de UFOVIA.
** ‘O disco voador que decolou’ – Apêndice: adaptação de trecho do livro “Os UFOs e seus Periféricos” (Pepe Arte Viva Ltda.), de Pepe Chaves.
– Fotos: Arquivo pessoal de Rêmulo T. Furtini.
FONTE: http://alfenasagora.com.br
http://ufos-wilson.blogspot.com.br/2017/03/a-noite-em-que-lavras-mg-parou-para-ver.html?spref=fb

quinta-feira, 2 de março de 2017

Documentos desclassificados: ex-piloto desvenda mistério dos OVNIs


OVNI
© Fotolia/ Nikolayn
Opinião
06:12 02.03.2017URL curta
0 11710

Enquanto a mídia prefere zombar dos OVNIS, Jean-Gabriel Greslé, ex-piloto e hoje ufólogo, explicou em uma entrevista este fenômeno inexplicável, após ter estudado vários documentos desclassificados dos serviços secretos norte-americanos e franceses.

Trilhas estranhas no céu de São Francisco
© Serviço Nacional de Tempo da Áreia de Baía
Que objeto misterioso sobrevoou céu de São Francisco – OVNI, meteoro ou míssil?
Antigo piloto de caça francês formado pela Força Aérea dos EUA, e comandante de bordo da Air France durante mais de 20 anos, Jean-Gabriel Greslé, que sempre se interessou por OVNIs, falou ao grupo Vice Media.
Nos anos cinquenta, graças ao estatuto de jovem piloto da Força Aérea dos EUA, Greslé conseguiu consultar todos os documentos classificados como altamente secretos disponíveis na biblioteca da base aérea da Carolina do Sul. Segundo o interlocutor do Vice Media, se trata essencialmente de documentos datados dos anos 1940-1960 e provenientes dos arquivos norte-americanos.
Ufólogo e ex-piloto Jean-Gabriel Greslé
© AFP 2016/ Alain Julien
Ufólogo e ex-piloto Jean-Gabriel Greslé
Assim ele teve acesso a grande número de documentos franceses e norte-americanos onde se falava de "objetos desconhecidos" ou de "corpos não humanos". Segundo Greslé, enquanto cientistas continuam céticos sobre o assunto, os serviços secretos afirmam que estes "objetos" e "corpos" existem e que eles "não são de origem terrestre". O número de informações e dados que podem comprovar a presença extraterrestre era enorme.
GOOGLE Earth
© Foto: GOOGLE Earth
Descoberta impressionante: OVNI visto em território de laboratório da NASA
Uma vez, ele estava a ouvir a emissão da música clássica com colegas, quando a emissão foi interrompida por mensagem de urgência.
"Senhoras e senhores, interrompemos as emissões em todo o território norte-americano porque acontecem as coisas muito graves. Objetos desconhecidos sobrevoaram o Pentágono e a Casa Branca", dizia o locutor.
Segundo Greslé, a situação se normalizou após 30 minutos, mas os instrutores confirmaram que dois objetos voadores não identificados foram avistados sobre duas zonas proibidas para todos os pilotos.
"A partir deste momento já sabia que havia algo único", diz ele.
Após a introdução da lei Freedom of Information and Protection of Privacy Act (Lei sobre a Liberdade de Informação) adotada em 1966, as agências federais foram obrigadas a permitir que seus documentos secretos fossem consultados por quem os solicitasse. Assim foi que mais de 1600 páginas de documentos desclassificados caíram nas mãos de Greslé.
OVNI (montagem)
© flickr.com/ Vladimir Pustovit
O que está lá no céu americano?
Enquanto a maioria dos documentos respeitava aos EUA, Greslé não se esquecia da França. Mas aí a situação no que se refere a consultar tais documentos é muito mais complicada.
"Sabemos que as leis do nosso país são muito mais restritivas do que as leis dos EUA em questões da divulgação de informações sensíveis", confirmou ele à mídia, acrescentando que os serviços secretos também se interessaram pelo fenômeno dos OVNIs.
Segundo Greslé, os dados secretos mostram que os OVNIs sobrevoavam as fábricas norte-americanas onde eram produzidas armas e bombas atômicas.
"O fato de que estas unidades eram sobrevoadas indica que todos os segredos atômicos eram conhecidos e constituíam o ponto de dissuasão", acrescentou Greslé.
Ele acrescentou que tais zonas secretas constituíam a maior parte das estruturas de interesse dos OVNIS. Todos os fatos são apresentados em 231 relatórios.
https://br.sputniknews.com/opiniao/201703027798676-documentos-decsclassificados-dos-eua-sobre-ovni/

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Vaticano vai se manifestar sobre extraterrestres


Vaticano poderá fazer declaração sobre vida extraterrestre. Informações estariam escondidas em Roma há décadas

21 de fevereiro de 2017 GERAL
O portal Voxxi News disse que devido aos avanços nos métodos da ciência para a descoberta de vida extraterrestre, o Vaticano pode estar preparado para uma declaração sobre um “primeiro contato ocorrido”
A repórter descreve que os detalhes ainda serão oficialmente anunciados, mas que o interesse do Vaticano na vida extraterrestre já está bem documentado através de conferências recentes sobre astrobiologia.
O Padre Guy Consolmagno, astrônomo Jesuíta e líder da pesquisa científica para a descoberta de vida extraterrestre, ganhou (em 2015) uma medalha da Sociedade Americana de Astronomia.
O Papa Francisco consulta regularmente Consolmagno e outros astrônomos do Vaticano sobre questões científicas.
Estudiosos que acompanham o Vaticano dizem que é bem provável que o Papa Francisco esteja preparando uma fala sobre o primeiro contato com vida extraterrestre.
“Provavelmente que ele irá enfatizar que não há nenhuma incompatibilidade nos ensinamentos cristãos com a crença na vida extraterrestre.” disse Mark Slow.
Mark diz que Francisco poderá enfatizar temas sobre os extraterrestre, tais como: não compartilham o pecado original, são mais evoluídos eticamente e são capazes de compartilhar a mensagem cristã, o que os torna nossos irmãos em Cristo.
É claro que nem todos irão dar as boas vindas à declaração do Papa Francisco.

Em 2008, o Vaticano admitiu que poderia haver vida fora da Terra

Na época, o diretor do observatório astronômico do Vaticano, padre José Gabriel Funes, conformou que Deus teria criado seres inteligentes em outros planetas da mesma maneira que criou o universo e os homens.
“Existem várias criaturas na Terra […] outros seres inteligentes também criados por Deus”, disse Gabriel Funes.
Ele acrescentou:
“Esse fato não contradiz nossa fé. Sabemos colocar limites à liberdade criadora de Deus”.
Funes, um jesuíta argentino de 45 anos de idade, cita São Francisco e diz que há possíveis habitantes de outros planetas que devem ser considerados como nossos irmãos.
De acordo com o cientista, estudar o universo não afasta, mas aproxima de Deus porque abre o coração e a mente.
“Observando as estrelas, emerge claramente um processo evolutivo, e este é um dado cientifico, mas não vejo nisso uma contradição com a fé em Deus.”
https://novesegundos.com/vaticano-podera-fazer-declaracao-sobre-vida-extraterrestre-informacoes-estariam-escondidas-em-roma-ha-decadas/#.WKyneH1KL3R.facebook

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Documento oficial aponta relatos 25 anos antes do Caso ET de Varginha

Informação sigilosa ficou nos arquivos do governo durante 46 anos.
Moradores relataram presença de OVNIs na cidade em 1971.

Do G1 Sul de Minas
<?XML:NAMESPACE PREFIX = [default] http://www.w3.org/2000/svg NS = "http://www.w3.org/2000/svg" />
Um documento do Ministério da Aeronáutica mostra que Varginha (MG), conhecida como a "Terra do ET", pode ter sido visitada por seres de outro planeta muito antes do famoso caso de 1996. Conforme o documento, há registro de moradores que disseram ter visto um Objeto Voador Não Identificado (OVNI) na cidade em 1971. Durante 46 anos, o documento ficou guardado sob sigilo nos arquivos do governo e só na semana passada foi divulgado pelo Arquivo Nacional.
Conforme o documento, o OVNI teria aparecido durante a noite, por volta de 19h. O dia correto da aparição não é informado. O objeto seria oval e prateado. Na época, fazendeiros e comerciantes confirmaram terem visto o objeto para as autoridades.
Documento sigiloso do governo foi divulgado somente agora, 46 anos após suposto aparecimento (Foto: Reprodução EPTV)
Documento sigiloso do governo foi divulgado somente
agora, 46 anos após suposto aparecimento (Foto:
Reprodução EPTV)

Segundo o documento, o Ovni foi visto na Vila Mendes e na Rua Rio de Janeiro, onde ficou parado por alguns instantes. Depois, ele foi visto no Clube Campestre. O documento ainda relata que o OVNI ainda sobrevoou a Escola de Sargentos das Armas EsSA, em Três Corações (MG). Segundo relatos, o objeto ficou parado próximo ao telhado de uma casa. O barulho era tão forte, que uma moradora teria perdido os sentidos.
O relato mais famoso de supostas aparições ocorreu em 1996, quando Varginha ficou mundialmente conhecida pelo suposto aparecimento de seres de outro planeta. Duas irmãs e uma amiga disseram ter visto uma criatura não humana. (Relembre o caso ET de Varginha)
O documento somente confirmou a história que moradores da cidade sempre acreditaram. "Eu pude observar que do lado da Rua Rio de Janeiro subiu um objeto que causou grande transtorno, queimando rádios, dando defeitos em carros, queimando transformadores e havendo um corte de iluminação naquelas imediações", disse o aposentado Geraldo Bichara.
Seu Arcelino Barbosa tinha 10 anos na época e diz que notou algo estranho no céu. "Realmente eu vi alguma coisa luminosa e aquilo chamou atenção na época das crianças que estavam ao meu lado brincando", disse o atendente Arcelino Barbosa Filho.

Documento aponta que Varginha pode ter sido visitada por ETs antes de famoso caso em 1996 (Foto: Reprodução EPTV)Documento aponta que Varginha pode ter sido visitada por ETs antes de famoso caso em 1996 (Foto: Reprodução EPTV) Para ufólogos, a divulgação do documento reforça ainda mais a convicção da existência de vidas em outros planetas.
"Esses avistamentos ocorrem em todo o Brasil a todo o momento, em todo o mundo a todo o momento, Minas Gerais, o interior de Minas Gerais tem uma rica característica de fenômenos ufológicos", disse o ufólogo Thiago Luiz Ticchetti.
http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2017/02/documento-oficial-aponta-relatos-25-anos-antes-do-caso-et-de-varginha.html?utm_source=facebook&utm_medium=share-bar-desktop&utm_campaign=share-bar