sexta-feira, 1 de maio de 2015

Uma palestra excelente no link abaixo

https://youtu.be/0s1XjoNf68o

Essa palestra nós assistimos enquanto esperávamos os participantes da nossa reunião ufológica, mas o vídeo usado no debate foi o deste link: https://youtu.be/Ci8pK60YkWc

Um abraço a todos

Jacinto Pereira

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Rússia irá buscar vida extraterrestre

 

Vista da Terra a partir da Lua

 

© flickr.com/ NASA's Marshall Space Flight Cente

11:00 23.04.2015(atualizado 11:59 23.04.2015) URL curta

Projetos de busca de vida extraterrestre, estudos de mudanças climatéricas na Terra e definição de nível de ameaça de asteroides e cometas potencialmente perigosos foram incluídos no programa espacial da Rússia para 2016-2025, segundo uma cópia do documento do Programa Espacial Federal.

Rio de Janeiro e São Paulo vistas da EEI

© AFP 2015/ NASA/ HANDOUT

Roscosmos nega participação russa no rompimento do acordo espacial entre Brasil e Ucrânia

Os projetos também irão incluir o envio de satélites e laboratórios interpenetrares á órbita em torno de Marte e Lua.

Nesta quarta-feira (22) Igor Komarov, chefe da Agência Espacial Russa, Roscosmos, manifestou que o novo programa espacial permitirá à Rússia realizar uma missão humana nas proximidades da Lua em 2025 e um pouso de uma expedição humana no satélite natural da Terra em 2029.

O Programa Espacial Federal da Rússia deverá ser submetido á aprovação do governo até o dia 10 de junho. Segundo a Roscosmos, o orçamento para o programa será cerca de 37 bilhões de dólares até 2025.

http://br.sputniknews.com/mundo/20150423/840044.html

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Livro promete divulgar 'verdades não reveladas' sobre ET de Varginha, MG

 

Ufólogo defende que inquérito teve como objetivo esconder a verdade.
Exército diz que caso está encerrado e que não comenta o assunto.

Lucas Soares Do G1 Sul de Minas

 

Livro promete revelar detalhes do Caso ET de Varginha (Foto: Divulgação / Marco Antônio Petit)Livro promete revelar detalhes do Caso ET de
Varginha (Foto: Divulgação / Marco Antônio Petit)

Um novo livro promete revelar detalhes ainda desconhecidos sobre o suposto aparecimento de um extraterrestre no ano de 1996 em Varginha (MG). Sob o título "Varginha, toda a verdade revelada", a obra do ufólogo e escritor Marco Antônio Petit, co-editor da revista UFO e autor de oito livros sofre ufologia, promete denunciar de forma detalhada como o Inquérito Policial Militar (IPM) conduzido por autoridades na época teria acobertado fatos sobre o caso para que eles não fossem levados a público.

Marco Antônio Petit fez parte como convidado da equipe de ufólogos que investigou o suposto aparecimento do ET na cidade. Segundo ele, até o início do procedimento instaurado pelo Exército, "a verdade era exposta por cada um de nós independentemente de suas possíveis implicações. Após o procedimento, lentamente as coisas começaram a se modificar".

Petit defende que uma nave alienígena caiu sobre a cidade naquele dia 20 de janeiro de 1996 e que parte de sua tripulação foi recolhida pelas autoridades. O que se seguiu depois, conforme o ufólogo, foi uma série de procedimentos que tinham como objetivo principal esconder a verdade. "A coisa foi muito mais séria do que as pessoas ouviram falar ou tomaram conhecimento. Houve inclusive, em certo momento, até a prisão de militares, suspeitos de estarem colaborando com nossas investigações", disse Petit.

O autor do livro tem percorrido diversas cidades do Brasil fazendo o lançamento e dando palestras sobre a obra. Em entrevista ao G1, Petit conta quais detalhes são revelados no livro e o motivo deles serem divulgados somente agora, quase duas décadas depois.

Autor de novo livro sobre o caso Varginha fez parte de equipe de ufólogos que investigaram o caso (Foto: Divulgação)Autor de novo livro sobre o caso Varginha fez parte
de equipe de ufólogos que investigaram o caso
(Foto: Divulgação)

G1 - O título do seu livro é “Varginha, toda a verdade revelada”. Quais verdades ainda faltavam ser trazidas ao público?

Uma expressiva parcela da história do caso não havia chegado ao público, pelo menos da maneira que deveria ter acontecido, e agora isto está acontecendo de maneira clara. Devo ressaltar também que, após a implosão do grupo principal de investigadores, do qual eu fiz parte de maneira efetiva, por meio de situações que chegaram a envolver, inclusive diretamente, procedimentos e atitudes tomadas pela Inteligência do Exército Brasileiro, eu continuei investigando o caso de maneira independente, tendo acesso a outras informações. Outro componente fundamental do livro é minha análise detalhada em um de seus capítulos do Inquérito Policial Militar (IPM), dentro do qual os dois primeiros investigadores do caso prestaram depoimentos dentro da Escola de Sargento das Armas (ESA). O ponto grave, agora denunciado de maneira detalhada pela primeira vez na presente obra, é que este IPM foi mantido, na época de sua realização, em total sigilo pelos principais investigadores do caso, inclusive com minha participação, por me sentir preso a uma espécie de ética com os dois primeiros pesquisadores de Varginha, já que eu havia chegado ao Sul de Minas para participar das pesquisas como convidado. O livro deixa claro, de maneira inédita, por que isto acontece e quais eram os interesses envolvidos.

G1 - Em reportagem online da Revista Ufo é dito que o senhor sempre deixou claro que parte de suas descobertas não poderiam ser reveladas por diversos motivos. Que motivos são esses e por que eles merecem vir à tona agora, 19 anos depois?

Eu me sentia refém de uma situação extremamente desconfortável, que durou muitos anos, ligada ao fato de ter chegado a Varginha para participar das pesquisas como convidado."

Marco Antônio Petit, escritor e ufólogo

Um dos aspectos eu já abordei. De uma forma ou outra, depois da deflagração do IPM, que ao contrário que a mídia divulgou mais recentemente com sua liberação por meio da campanha “UFOs – Liberdade de Informação, Já”, desenvolvida contra o acobertamento pela revista UFO, da qual sou coeditor, e pela Comissão Brasileira de Ufólogos, não foi um procedimento para apurar a realidade ou não do caso, mas sim a existência de ilícito penal (crime) nas declarações dos autores do primeiro livro sobre o caso, as coisas começaram a se modificar dentro do grupo de pesquisadores. Eu me sentia refém de uma situação extremamente desconfortável, que durou muitos anos, ligada ao fato de ter chegado a Varginha para participar das pesquisas como convidado. Até o início do procedimento (IPM), a verdade era exposta por cada um de nós independentemente de suas possíveis implicações. Após o procedimento, lentamente as coisas começaram a se modificar. O livro explica bem todo esse processo e quais os fatos que me levaram a romper com qualquer forma de acobertamento.

Outro fator decisivo, que me levou a revelar outros detalhes sobre a história, foi a constatação recente, por meio de uma investigação liderada pelo coordenador da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU), o pesquisador Fernando Aragão Ramalho, da atual situação dentro da área militar de alguns dos militares do Exército, que haviam colaborado de início com as nossas pesquisas, passando informações valiosas. Eu mesmo havia gravado um desses depoimentos em vídeo com um militar da ESA diretamente envolvido com o caso.

G1 - A mesma reportagem fala que você defende a queda de uma nave alienígena naquele dia e o recolhimento da tripulação por militares. No entanto, as informações teriam vazado e parte teria sido divulgada à imprensa. O Caso ET, como conhecemos hoje pela mídia, foi maior ainda do que foi noticiado?

Na verdade o caso é muito maior e mais importante do que as pessoas tomaram conhecimento. Teve o envolvimento de um número bem mais numeroso, inclusive de militares de alta patente, cujos nomes apresento de maneira definitiva, para que fique firmado que não estamos brincando de fazer Ufologia. A coisa foi muito mais séria do que as pessoas ouviram falar ou tomaram conhecimento. Houve inclusive, em certo momento, até a prisão de militares, suspeitos de estarem colaborando com nossas investigações.

Na verdade o caso é muito maior e mais importante do que as pessoas tomaram conhecimento. Teve o envolvimento de um número bem mais numeroso, inclusive de militares de alta patente, cujos nomes apresento de maneira definitiva, para que fique firmado que não estamos brincando de fazer Ufologia."

G1 - Na sua visão, como o Exército abordou o acontecimento? Foi feito realmente um grande trabalho de acobertamento dos fatos?

Houve de fato um acobertamento visando manter o sigilo sobre cada detalhe do caso e o envolvimento militar com a história. Esse acobertamento foi liderado ao longo de todo o ano de 1996 pelo comando da Escola de Sargento das Armas (ESA). Houve de fato, como o livro destaca, a participação direta, não só no que diz respeito aos fatos ligados ao caso, mas também envolvendo o seu acobertamento, de altas patentes da Polícia Militar de Minas e do Corpo de Bombeiros, como pode ser vislumbrado inclusive nos autos do próprio IPM relacionados ao primeiro livro sobre Varginha.

G1 - Qual a sua opinião sobre a conclusão do inquérito do Exército, que apontou que o “ET de Varginha” se tratava de um morador da cidade?

O livro demonstra claramente como isto não passou de uma das manobras dos responsáveis pelo IPM, com a participação direta do comandante da PM local na época (1997), para negar a queda da uma nave alienígena e o recolhimento de pelo menos parte de sua tripulação por forças militares. Para que o autor do livro “Incidente em Varginha” pudesse ser inocentado de qualquer forma de responsabilidade criminal dentro do procedimento, era necessário que ele aparecesse como uma pessoa ingênua, que havia dado credibilidade a fatos inverídicos. Ou seja, o caso não podia ser verdadeiro. As duas situações que se concretizaram com o findar do IPM estavam muito mais interligadas do que as pessoas poderiam imaginar. É necessário explicar, para que isto possa ser entendido melhor, como o livro detalha, que o comando da ESA, após o início do IPM em janeiro de 1997, foi substituído e os que assumiram a responsabilidade de dar seguimento ao IPM passaram a tratar o assunto dentro de uma outra ótica, onde os procedimentos da área da Inteligência militar passariam a inspirar todas as atitudes.

O memorial inacabado em Varginha (MG) e o suposto et no detalhe: assunto ainda gera discussões quase 20 anos depois (Foto: Reprodução EPTV)Memorial inacabado em Varginha (MG) e o suposto ET no detalhe: assunto ainda gera discussões quase 20 anos depois (Foto: Reprodução EPTV)

A maior prova que esse IPM nunca foi desenvolvido para avaliar a verdade sobre o caso de Varginha está na própria atitude de sigilo mantida pelo Exército durante o procedimento de apuração, e mesmo após sua conclusão. Ele só foi divulgado e chegou à mídia mediante sua localização pelo nosso grupo (CBU). Se a sua conclusão está de fato substanciada nos autos do processo, por que o próprio Exército não chamou a mídia e cuidou de sua divulgação pública? A resposta para essa questão, e tantas outras coisas incompreensíveis para aqueles que acompanharam o caso, está agora finalmente disponível em meu livro.

G1 - O que o Exército ainda insiste em esconder sobre o Caso Varginha?

Em termos de documento hoje de domínio público, o IPM, é a maior evidência de que algo extremamente importante aconteceu de fato no Sul de Minas em janeiro de 1996"

Marco Antônio Petit

O caso envolveu a queda de uma nave alienígena e o recolhimento, como já disse, de pelo menos parte de sua tripulação. E a história não se resume apenas a isso. Todo e qualquer fato desse tipo é considerado, dentro de qualquer nação, na área da segurança nacional e possui implicações na visão dos que defendem o acobertamento, capazes potencialmente de desestabilizarem nossas instituições militares, governamentais, religiosas etc. Isto, entretanto, é apenas parte do problema. Existem outras implicações que aqui não temos espaço para expressar e detalhar. Devo ressaltar, entretanto, que o sigilo sobre Varginha vai muito além dos limites de comando e do interesse de nosso Exército, como destaco também no livro.

G1 - Vocês tiveram acesso a algum documento ou registro que torna inegável que algo de origem extraterrestre esteve em Varginha?

Além dos depoimentos de militares diretamente envolvidos com vários aspectos do caso, gravados em áudio e vídeo (os quais, de início, eu era apenas um dos quatro pesquisadores a possuir, mas que agora, por questões de segurança, já estão também em outras mãos), e de inúmeros testemunhos civis de credibilidade, se de fato estudarmos com atenção os próprios autos do IPM, teremos uma surpresa.

Basta comparar a própria documentação que faz parte do procedimento com as explicações e depoimentos dos militares para percebermos as inúmeras contradições. Em termos de documento hoje de domínio público, o IPM é a maior evidência de que algo extremamente importante aconteceu de fato no Sul de Minas em janeiro de 1996. Um dos motivos do Exército para não permitir sua divulgação envolveu justamente este tipo de realidade. Não basta apenas ler sua conclusão.

O outro lado
Em outubro de 2010, a revista ‘Isto é’ publicou uma reportagem sobre o inquérito policial que apurou a participação do Exército, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros no caso Varginha. O resultado, segundo a revista, deixou claro que não houve nenhuma captura de ser extraterrestre no dia 20 de janeiro de 1996. A reportagem mostrou que o inquérito aberto e concluído em 1997, com 357 páginas, apontou que o que teria acontecido na verdade foi uma confusão. O texto diz que um cidadão, provavelmente sujo por causa da chuva e visto agachado junto a um muro, teria sido confundido com uma criatura do espaço por três meninas. Ainda conforme o documento, um morador da cidade chamado Luiz Antônio, seria o homem visto no terreno baldio naquela época.

Em contato com o G1, a assessoria de comunicação do Exército brasileiro informou que o caso já está encerrado e que por isso não há mais comentários a se fazer sobre o assunto.

http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2015/04/livro-promete-divulgar-verdades-nao-reveladas-sobre-et-de-varginha-mg.html

quinta-feira, 16 de abril de 2015

NASA afirma: Vida alienígena aparecerá em 20 anos

 

 

De acordo com um cálculo elaborado por especialistas da NASA, existem 100 milhões de planetas em nossa galáxia que poderiam abrigar alguma forma de vida inteligente. É bem possível, portanto, que, daqui a duas décadas, a humanidade descubra a existência de seres extraterrestres. Durante a última conferência na sede de Washington, representantes da NASA revelaram um plano para procurar vida extraterrestre com a ajuda da última tecnologia em telescópios.

A previsão é que, em 2017, seja lançado o Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS), que vai trabalhar em conjunto com o telescópio espacial James Webb, a ser lançado um ano depois. Ambos vão atuar para descobrir se, em algum dos milhões de planetas potencialmente aptos para a vida inteligente, existe alguma impressão química que a comprove. “O que não sabíamos há cinco anos é que, em, aproximadamente, 10% a 20% dos casos, há planetas do tamanho da Terra que orbitam estrelas e que se encontram na zona habitável”, declarou Matt Mountain, um dos cientistas que preparam o lançamento do telescópio James Webb.

“Está no nosso alcance chegar a uma descoberta que vai mudar o mundo para sempre”. “Penso que, dentro de 20 anos, descobriremos que não estamos sozinhos no universo”, afirmou o astronauta Kevin Hand, que acredita que Europa, um dos satélites de Júpiter, pode abrigar vida.

Fonte: RT

http://seuhistory.com/noticias/nasa-afirma-vida-alienigena-aparecera-em-20-anos

terça-feira, 14 de abril de 2015

Mais um aniversário do CSPU

 

cspu

Hoje o CSPU completa 16 anos de fundado. Já se foram dezesseis anos de pesquisas ufológicas na nossa região, dezesseis anos juntando dados sobre esse fenômeno que tanto intriga e apaixona uma grande parte da humanidade. Principalmente aqueles que não aceitam as explicações das religiões sobre a criação ou aparecimento de nossa espécie em nosso planeta. A maioria de nós ufólogos, acreditamos que outras civilizações vindas do outros corpos celestes de nosso Universo, ajudaram e ainda ajudam ou interferem com as atividades humanas. Por essas e outras é que nos confraternizamos com todos os componentes do nosso Centro Sobralense de Pesquisas Ufológicas, pela grata amizade que nos une e pelas aventuras já vividas por nós nas nossas vigílias. Um grande abraço de parabéns a todos os Ufólogos e simpatizantes componentes desta nossa entidade.

Na sexta feira da próxima semana(24), estaremos mais uma vez reunidos em nossa já costumeira Reunião Plenária Mensal. Venha participar conosco, de mais um momento de troca de informações ufológicas. Nesses momentos, não faltam informações novas sobre o assunto. O mais importante: A entrada é franca e você está convidado.

O local: Sala l da CDL de Sobral, que fica situado na Rua Dr. João do Monte 826, no Centro, Sobral - CE.

Por Jacinto Pereira

domingo, 29 de março de 2015

Os extraterrestres sempre estiveram na terra, entre nós!

 

Os extraterrestres sempre estiveram na terra, entre nós!

Os extraterrestres sempre estiveram na terra, entre nós!

Em toda a história da Humanidade sempre ouvimos histórias sobre fenômenos paranormais, assombrosos e, inclusive, muitas pessoas já foram condenadas à morte pelas histórias assustadoras.

E hoje, nós mostramos pra vocês que essas histórias podem e devem ser verdades! Vejam os casos mais intrigantes, de toda a história do nosso planeta.

O caso de Giordano Bruno

O caso de Giordano Bruno

O caso de Giordano Bruno

Giordano Bruno foi condenado a morrer na fogueira, em fevereiro de 1600 por ser acusado de possuir uma mente com maior capacidade de percepção, aberta para novos horizontes.

Bruno acreditava na existência de vários planetas habitados, o que fez com que a Igreja Católica rapidamente o condenasse a morte (como faria com qualquer outro que pensasse o mesmo), o fazendo ser consumido pelas chamas da famosa Santa Inquisição.

Os responsáveis pelo ato insano de condenar alguém a morte na fogueira, diziam defender os fundamentos e ideias da Bíblia.

Não se tem muitas informações sobre Giordano, além destas. Mas, se em 1600, um homem já tinha essa visão de espaço e civilizações, e aceitou morrer por tais ideias, algo de muito estranho tinha nisso tudo!

Os segredos contidos na Bíblia

Os segredos contidos na Bíblia

Os segredos contidos na Bíblia

O livro sagrado não só revelou a existência de outros planetas habitados, mas também os contatos mantidos pelos extraterrestres com os nossos ascendentes.

Se pensarmos como verdade as tradições, mitologias e os textos sagrados de várias civilizações antigas, as interações com divindades eram acontecimentos muito frequentes, mas com o passar do tempo, esses casos acabaram se tornando cada vez mais raros.

Foi onde os povos acreditaram que os “deuses” abandonaram a humanidade. Revendo esse problema de forma lógica, é extremamente complicado entender essa mudança de comportamento das divindades.

Mesmo sendo raro, os seres que visitavam a tempos atrás ainda voltam a Terra, agora não mais reconhecidos como deuses, mas sim como extraterrestres. Porém, o que realmente nos importa é o fato de que foram eles os inspiradores das grandes tradições religiosas dos povos do passado.

Tradições essas que fundamentaram as civilizações, trouxeram uma certa organização e, por mais rudimentar que tenha sido, um certo tipo de paz interna, nas sociedades.

Ou seja, conseguiram amenizar a selvageria que ocorria na nossa era primitiva. Porque estes deuses nos abandonaram, agora que conseguimos nos virar sozinhos e, até mesmo, traçar noções mais cientificas de como eles existem? Será que eles vieram somente para nos ensinar a viver em sociedade?

A população primitiva e sua nova religião

os norte-americanos fixaram várias bases nas ilhas do sul do Pacífico

os norte-americanos fixaram várias bases nas ilhas do sul do Pacífico

Na Segunda Guerra Mundial, sabe-se que os norte-americanos fixaram várias bases nas ilhas do sul do Pacífico. Os nativos observavam a chegada inesperada de paraquedistas e depois de aviões no local. Nessa época, nasceu uma nova religião na Terra.

Com o fim da guerra, os militares voltaram ao EUA e deixavam as populações primitivas do local sob um forte impacto (muitas criaram réplicas idênticas as aeronaves da época, utilizando galhos e folhas), enquanto aguardavam seus deuses voltarem do céu.

As grandes religiões e mitologias milenares nasceram a partir do contato com outras culturas extraplanetárias. Se analisarmos tudo isso, os livros sagrados estão repletos de referências aos extraterrestres.

Existem vários textos que foram simplesmente proibidos do corpus bíblico por serem vistos como incultos, e a maioria era justamente os mais reveladores, contendo diversas informações importantes explicando os contatos das divindades com a população que estava na Terra.

O que desvendaria todo o mistério que há por trás dessas divindades e que poriam fim a maior instituição da Terra, a igreja católica.

Os extraterrestres estariam nas escrituras?

escrituras

escrituras

No primeiro livro da Bíblia, consta-se a história de evidências que nos faz acreditar nas interpretações ufológicas relacionadas aos famosos encontros entre anjos e os representantes da Terra.

Em um dos primeiros versículos do 18º capítulo, é revelado que “apareceu o Senhor a Abraão nos carvalhos de Manbre, quando ele estava assentado à entrada da tenda, no maior calor do dia. Levantou Abraão os olhos e eis que três homens estavam de pé à sua frente. Vendo-os, correu da porta da tenda ao encontro deles, prostrou-se em terra e disse: ‘meus senhores, se estou à mercê de Vossa presença, rogo-te que não passe de teu servo’. Abraão, por sua vez, correu ao gado, tomou um novilho tenro e bom, e deu-o ao seu criado, que se apressou em prepará-lo. Tomou também coalhada e leite, o novilho que mandara preparar e pôs tudo diante deles, e permaneceu de pé junto a eles debaixo da árvore enquanto comiam”.

Atentem-se para o fato de “os homens” serem a única forma de explicar algo que se movimentava de pé e tinha o formato de hominídeo. Não acha realmente estranho Deus, o todo poderoso, vir acompanhado de “guarda-costas” e ainda comer uma refeição?

Diante dessas evidências fica difícil acreditar que tudo não passa de ilusão, imaginação. Deveríamos procurar mais explicações ou continuar na dúvida?

http://superobscuro.com/2015/03/os-extraterrestres-sempre-estiveram-na-terra-entre-nos/

Contribuição do companheiro Célio Cavalcante

sexta-feira, 27 de março de 2015

Efeitos causados pela remoção de implantes "extraterrestres"

Após décadas de estudo das abduções, somente agora médicos passaram a preocupar-se com os implantes e sua remoção cirúrgica

Eve Frances Lorgen

"Os Implantes constituem um dos aspectos mais polêmicos da Ufologia. Segundo especialistas, seriam minúsculos dispositivos eletrônicos inseridos nos corpos dos abduzidos para monitorá-Ios ou controlá-Ios"

De todas as mais variadas e complexas facetas do Fenômeno UFO, sem dúvida a que atrai maior atenção são as chamadas abduções - os seqüestros de humanos por extraterrestres, geralmente envolvendo algum tipo de exame médico do raptado a bordo de discos voadores. Desse segmento particular da Ufologia, um aspecto e mais polêmico e atrai grande atenção ­ os implantes, que segundo especialistas seriam minúsculos instrumentos eletrônicos inseridos nos corpos dos abduzidos, cujas funções ainda só podemos especular. De qualquer forma, tais dispositivos têm sido detectados através de métodos convencionais, tais como raios X e ultra-sonografia. Em casos mais raros, cirurgiões de várias partes do mundo, procurando tais chips em seus pacientes ou simplesmente encontrando-os por acaso, têm logrado êxito em extraí-los cirurgicamente. E isso que abordamos neste trabalho.

Anos após a remoção cirúrgica destes supostos implantes alienígenas, cinco vítimas de abduções concordaram em participar de uma pesquisa para discutir os efeitos anteriores e posteriores resultantes de tal experiência. Todas elas - um homem e quatro mulheres - tinham tido uma coisa em comum: um contato com seres extraterrestres, uma clássica abdução. A equipe que realizou as cirurgias de remoção dos implantes era composta pelo ortopedista da Califórnia Roger Leir, fundador do Fund for Interactive Research and Space Technology (FIRST), juntamente com o hipnoterapeuta e co-fundador do mesmo instituto Derrel Sims, experiente investigador de UFOs há mais de 27 anos, além de alguns médicos voluntários [O doutor Leir acaba de publicar seu livro The Aliens and the Scalpel. Veja na seção Imprensa Ufológica}.

As experiências de extração foram marcantes e representam grande avanço para a Ufologia. A primeira cirurgia aconteceu em 19 de agosto de 1995, na clínica do doutor Leir, em Thousand Oaks, ao norte de Los Angeles. As duas primeiras pacientes a serem operadas foram Pat Parrinellio, 47 anos, e Mary Jones, 52, ambas residentes em Houston, Texas, e contatadas para esta operação por Derrel Sims. Através de raios X realizados em ambas foi possível constatar a presença de um estranho objeto nas costas da mão esquerda de Pat e um no dedão do pé esquerdo de Mary. Os supostos implantes alienígenas removidos na primeira série de cirurgias foram estudados por dois patologistas e, então, encaminhados a vários laboratórios para uma aprofundada análise científica, que incluiu avaliação patológica dos tecidos extraídos e quebra das moléculas dos tecidos via indução a laser.

ROGER LEIR, em primeiro plano, comanda a equipe médica que procede à detecção de um implante em uma vítima de abdução, com sua posterior remoção para análise mineralográfica

ESPECTROSCOPIA - Além destes, foram realizados vários testes nas amostras a fim de se determinar sua composição. Entre as análises foram utilizadas técnicas de espectroscopia dispersiva e de difração de raios X, testes metalúrgicos diversos, microscopia de varredura eletrônica e estudos das propriedades eletromagnéticas e fluorescentes das amostras. Até o momento, experiências de detecção isotópicas também estão em processo de finalização. Os responsáveis por boa parte de tal trabalho são o National Institute of Discovery Science (NIDS), o New México Technology lnstitute e outros laboratórios independentes.

A segunda série de cirurgias de remoção de implantes aconteceu em 19 de maio de 1996 e, desta vez, outras duas mulheres foram submetidas à operação. Dorothy O'Hara 61 anos, e Alice Leavy, 40, ambas da Califórnia, tiveram objetos similares removidos de suas pernas esquerdas. Outra mulher, Licia Davidson, 37, que alegou ter tido numerosos encontros com UFOs e alienígenas, estava com um objeto raro e cristalino em seu pé, que foi removido em janeirode 1997. Segundo o doutor Leir,"a descoberta desses implantes cirúrgicos é muitíssimo rara." Em todos esses casos, não havia virtualmente uma resposta clara o enigma, mas estava sendo dado um primeiro e importante passo.

Normalmente, corpos estranhos dentro de tecidos resultam em algum tipo deinfluência crônica e aguda e podem incluir fibroses e formação de cistos. Mas este não era o caso de nenhum dos pacientes que se apresentaram para as operações - todostinham mantido contato com seres não terrestres e seus implantes resultaram de tais encontros. O relatório patológico das primeiras duas cirurgias revelou que os objetos as metálicos extraídos estavam encaixados numa densa e consistente membrana verde composta de proteínas coaguladas, hemoseridina e queratina - ou simplesmente proteínas nas sangüíneas e células da pele que comumente são encontradas na superfície. Foram encontrados ainda uma espécie de "casulos biológicos" consistentes, nos quais estavam encaixados os implantes. Eles continhan em seu interior nervos proprioceptores e células com tipos de tecidos que geralmente não são encontrados naquelas partes do corpo humano. Estes casulos também apresentavam uma cor verde brilhante quando analisados sob fonte de luz ultravioleta.

Os implantes de Dorothy e Alice não exibiam propriedades metálicas tal como os implantes das mulheres do primeiro grupo. De fato, a esfera encontrada em seus corpos, de cor esbranquiçada, não tinha rigidez nem revestimento externo biológico. Sob exame com luz ultravioleta, não apresentou fluorescência. Este tipo de implante também não provoca no organismo dos abduzidos a esperada reação inflamatória que corpos estranhos geralmente proporcionam, de acordo com o relatório patológico. O objeto cristalino retirado do pé de Licia também não possuía rigidez nem membrana verde externa, e não produziu reação inflamatória, como em outros casos em que artefatos cirúrgicos (terrestres) foram implantados. Já os resultados dos testes com Pat e Mary ­ do primeiro grupo - revelaram que o objeto removido tinha características metálicas e formato de agulha. O curioso, no entanto, é que sua composição mostrou que o objeto tinha os mesmo elementos, em proporções idênticas às encontradas em meteoros - eram pelo menos onze diferentes tipos de elementos químicos.

Numa entrevista dada à revista Alien Encounters Magazine, da Inglaterra, Sims comentou sobre o fato, bastante incomum, de que em geral os humanos não apresentam qualquer tipo de rejeição aos implantes supostamente alienígenas. "Parece que a densa membrana fibrosa extraída nas cirurgias pertence à pele da própria pessoa que recebe o implante, e que os objetos metálicos são envolvidos nesse material, que tem uma cobertura queratinosa." Faz sentido, pois dos implantes saem fibras nervosas que cercam o tecido e parecem estar presas aos nervos maiores da área corporal atingida. Sims acredita ainda que as evidências de que os implantes sejam de origem extraterrestre são muito fortes. "Mas seja o que for que os cientistas determinarem em seus exames, acataremos os resultados ", finalizou. O estudioso declarou que uma atenta revisão das conclusões científicas terá que ser feita antes de serem revelados mais detalhes à população.

No estudo de algo tão complexo, a avaliação científica da natureza dos implantes é a maior aliada dos ufólogos. Mas as experiências e opiniões dos corajosos indivíduos que receberam tais implantes e se submeteram a cirurgias extrativas são igualmente importantes. No decorrer das operações, uma série de questões simples foram propostas a cada participante, visando determinar o máximo possível sobre suas experiências de abdução. Quando perguntados como e quando seus implantes poderiam ter sido inseridos em seus corpos, por exemplo, Pat disse acreditar que isso poderia ter ocorrido durante um encontro com um UFO em 1954, quando ela tinha apenas 6 anos de idade.

Já Mary Jones se recorda de dois contatos com UFOs em 1969, quando crê ter sido implantado o objeto metálico encontrado em seu corpo e extraído pela equipe do doutor Leir. "No primeiro encontro que tive com um UFO, eu estava grávida do meu primeiro filho e lembro-me de estar acampando com minha família", declarou. Um mês depois do filho de Mary nascer, ela teve outro contato com alienígenas enquanto estava em casa, durante a noite. Como se vê, as abduções são constantes na vida do indivíduo que, por alguma razão, é escolhido por ETs. As diversas fases de sua vida são ininterruptamente monitoradas - talvez com o emprego do implante. Assim, infância,juventude, puberdade, fase adulta, casamento, gestações, envelhecimento, etc, são fases acompanhadas por extraterrestres.

Ao contrário, Dorothy e Licia disseram que não tinham idéia de quando os objetos foram inseridos em seus corpos. E Alice comentou que a primeira vez que notou o inchaço em sua perna foi numa época próxima a um encontro com um UFO envolvendo outras testemunhas, em San Diego, no ano de 1993. "Na verdade, notei o inchaço e a marca em minha perna após o encontro com o UFO ", relatou. Isso também é comum em abduções seguidas de implantes, embora as vítimas não saibam que foram implantadas. Logo após suas experiências notam transformações - como inchaços e manchas - em seus corpos.

SONHOS ESTRANHOS - Neste ponto de nossas discussões, cabe uma pergunta apropriada. Se seres alienígenas são de fato os responsáveis pelos implantes de objetos nos corpos dos abduzidos, estariam eles cientes do fato de que tais implantes podem vir a ser detectados pela Medicina terrestre conseqüentemente removidos? Esta é uma indagação sobre cuja resposta somente podemos especular. Mesmo assim, continuando o questionamento aos abduzidos sendo tratados em nosso projeto de pesquisa, fizemo­lhes várias outras perguntas. A próxima pretendia descobrir se as vítimas dos implantes haviam tido algum tipo de contato ou mera observação de UFOs, se se recordavam de terem sido abduzidas por aliens, se tiveram sonhos estranhos, sensação de tempo apagado de suas mentes ou de manifestação de eventos paranormais. Tudo isso compreendendo desde o período anterior até o posterior à inserção do implante e em seus corpos. Pat revelou aos investigadores uma série de eventos ocorridos com ela e, curiosamente, com outras vítimas de abdução, envolvendo o avistamento de um UFO laranja incandescente mais ou menos uma semana antes de sua cirurgia pela equipe do doutor Leir. "Após a operação de remoção do implante, notei que minhas habilidades psíquicas pareceram diminuir", disse a moça. Ao que tudo indica, dentro da fase de monitoração imposta por ETs às suas vítimas, tinham eles detectado a intenção de Pat de remover o dispositivo em seu corpo. Isso foi notado em vários casos, relacionados a outros pacientes, que tiveram sua vida ligeiramente alterada quando descobriram-se implantados e desejaram submeter-se a análises.

Já segundo Dorothy, cerca de uma semana antes da cirurgia ela teria sonhado com uma experiência de abdução envolvendo muitas pessoas em um grande edifício. "Todos esperavam em fila para receberem o que parecia ser um tiro disparado em suas nucas", descreveu a abduzida, que informou ainda que, antes de um encontro com um dos membros da equipe de extração, para uma entrevista com respeito ao implante, ela e outra mulher tiveram uma estranha experiência relacionada a extraterrestres. "Era como se eu passasse por uma aberração temporal. Acabei me atrasando bastante para o encontro e então, uma noite após ter voltado da cirurgia, tive um contato com alienígenas que não consigo me recordar claramente", confessou. Como se vê, os ETs - já aceitando-se sua autoria para os implantes -sabem das intenções de suas vítimas em alterar o curso de suas histórias.

DORES INCOMUNS - Tanto Licia quanto Alice não se recordaram de nenhum evento anormal, antes ou depois do implante cirúrgico ter sido removido. Entretanto, Mary relatou ter sentido uma dor rara e um inchaço em seu dedo do pé. Naquela região de seu corpo, cerca de uma semana antes da cirurgia, ela sabia que se alojavam implantes. "Eu sabia exatamente onde os objetos estavam em meu pé. Podia inclusive senti-los", descreveu. Antes disso, durante toda sua vida após o contato com os alienígenas que lhe inseriram os implantes, Mary jamais tinha sentido qualquer tipo de dor em seu dedo. Foi somente quando decidiu retirá-los é que passou a senti-los em sue organismo. "Isso era realmente estranho, pois no momento em que desci do carro para encontrar Derrel Sims, um pouco antes da cirurgia, minha dor parou."

Uma questão crucial que podemos nos perguntar neste momento é se, agora que os implantes foram removidos dos corpos destas pessoas, os alienígenas continuarão seqüestrando-os e tentarão voltar a inserir novos implantes? Quando perguntamos isso às pacientes, as respostas- com exceção de Mary - foram unânimes: "Sim" Alice comentou sobre uma nova abdução por que passou apenas dois meses após a cirurgia de extração do implante. "Fui para a cama mais cedo naquela noite, devido a uma dor de cabeça. Meu marido acordou à 01:00h da madrugada, pois todo o quarto brilhava com a luz do dia. Ele olhou para o relógio, procurou me tocar e descobriu que eu tinha sumido. Então, rápida e inexplicavelmente voltou a dormir:" No dia seguinte a este fato, Alice se sentiu muito doente e não se lembrava de nada do que tinha acontecido durante a noite anterior, o que só foi possível mais tarde, com sessões de hipnose regressiva. "Mas notei que meu cachorro tinha arranhado diversas áreas da casa, como se estivesse tentando escapar de alguma coisa aterrorizante. "

Com mudanças na saúde, humor, sonhos e fenômenos psíquicos após a cirurgia, todas as cinco vítimas dos implantes passaram por algum tipo de transformação. Mary declarou que teve uma sensação de paz após seus objetos terem sido removidos. Dorothy também comentou que sentiu um grande alívio após a cirurgia. Licia notou uma repentina melhora em seu humor após o objeto ser extraído de seu pé - ela também parou de sentir dores nesta região. Mas alguns estranhos efeitos também foram notados em seus corpos.

De acordo com Dorothy, algumas coisas mudaram após a remoção do implante. "Manifestei um intenso efeito diurético e perdi muita água na semana seguinte à cirurgia ", disse à equipe do doutor Leir, garantindo que, a partir deste momento, sua saúde piorou e ela passou a desenvolver angina. "Esse problema de coração é conseqüência de uma doença anterior que tive aos 20 anos ", declarou. Dorothy também passou a sentir fadiga e não conseguia se concentrar em seus afazeres habituais após a remoção do implante em seu corpo. "A angina durou cerca de um mês, quando então cessou e minha energia e saúde voltaram com mais vigor. Depois disso, percebi que minha criatividade e clareza mental aumentaram extraordinariamente. Não tinha mais dificuldades em memorizar fatos que me ocorriam e era capaz de relembrar a experiência de abdução que me aconteceu em 1991 ", disse a espantada abduzida. Em outras palavras, era a primeira vez que Dorothy conseguia se recordar de uma abdução conscientemente, embora tenha levado três dias para processar a memória que lhe vinha à mente. Ela relatou que esta foi uma situação mental e emocionalmente difícil. "Olhando para trás, após a cirurgia de remoção do implante e a recuperação da angina. me senti desintoxicada ", finalizou.

Alice e Dorothy compartilharam um sintoma comum durante vários meses depois da cirurgia. Alice observou que, após 8 meses decorridos, passou a ter dores atrozes em sua perna esquerda. Notou ainda que a cicatriz da operação de remoção do implante tomara-se vermelha e brilhante, além de doer muito por cerca de uma semana. Também por volta desse mesmo período de tempo, ela teve uma forte visão precognitiva que mais tarde se tomou real. "Percebi uma estranha reação em minha perna e na cicatriz do implante, alguns meses depois da cirurgia." Poderiam as mudanças em cada um dos indivíduos entrevistados alterar suas visões sobre o Fenômeno UFO após o fato? Pat admitiu que, antes da cirurgia, era basicamente descrente na existência de discos voadores e na ocorrência de abduções."Parece que quanto mais pessoas se tornam conscientes destes fatos, mais percebo que nada sei a respeito. Mesmo assim, sinto que alguma coisa está acelerando um processo que não consigo entender... ",declarou.

Dorothy concordou com Pat que, antes da cirurgia, ambas imaginavam que o Fenômeno UFO fosse um absurdo. "Eu me sentia capaz de compreender muitos assuntos em minha vida, menos aceitar a existência de discos voadores e homenzinhos verdes seqüestrando pessoas ", disse Dorothy. "Agora, depois do que me passou, não sou mais descrente no assunto e tenho uma abordagem mais prática e espiritual para viver", complementou, acrescentando que hoje está mais interessada em ajudar os outros. Mary também admitiu que não tinha interesse ou conhecimento sobre o fenômeno da abdução antes da cirurgia. "Até hoje não tenho interesse pelo assunto, ainda que não possa negar que exista algo de verdade a seu respeito. "

Continuando, tanto Licia quanto Alice tinham um bom conhecimento sobre as abduções alienígenas. Licia declarou que suas opiniões não mudaram a respeito do assunto, após a cirurgia a que se submeteu. "A melhor forma que posso usar para descrever o que se passou é que tive a real sensação de ter me sentido na maior das alturas e na mais baixa das profundezas. " Alice admitiu que, antes da cirurgia, sentia que os aliens eram possivelmente maus. E agora, após a operação, "... à medida em que as abduções continuam a ocorrer na minha vida, penso que os aliens apenas têm um trabalho a fazer. Pode não ser um bom trabalho, mas acho que estão apenas seguindo ordens ", concluiu.

VERDADES ESCONDIDAS - Em virtude de um crescente número de descobertas sobre as abduções e os implantes, em geral levando-nos cada vez mais a concluir que sejam extraterrestres, muitas perguntas surgem e um número insuficiente de respostas é apresentado. A questão mais grave a ser debatida, no entanto, é se estaria a comunidade ufológica - investigadores e grupos de pesquisas - contando toda a verdade sobre o que realmente acontece aos abduzidos. É consenso mundial que os estudiosos do mistério dos implantes não estejam revelando tudo que sabem, até porque, quando chegam neste estágio de suas investigações, são abordados pelos serviços de inteligência governamentais e dissuadidos a manter suas atividades e eventuais descobertas em segredo, 'pelo bem da Humanidade. '

Perguntamos aos indivíduos que se submeteram à remoção de implantes se eles achavam que as pesquisas deveriam continuar e se suas conclusões serem publicadas. As respostas foram variadas e serviram para que se tivesse idéia do que pensam os abduzidos. Segundo Pat, a verdade sobre o assunto é subjetiva. Ela sabe que há poucos pesquisadores que estão se agarrando à estrita intenção de descobrir o que está acontecendo. Alice concorda com Pat e acrescenta que, para a maioria das pessoas, os pesquisadores de abduções estão relatando as coisas como realmente acontecem. "O trabalho destes estudiosos é importante." Mas há uma pequena exceção, segundo ela: "Alguns deles, considerados de elite, não estão mencionando o aparente envolvimento militar nas abduções." Licia concorda com ela. "Grandes pesquisadores estão tocando nos assuntos principais, mas, em minha opinião, não querem se envolver com as manobras governamentais e militares nestas atividades ", declarou.

Dorothy disse "muitas pessoas na comunidade ufológica têm idéias fantasiosas sobre a verdadeira intenção dos extraterrestres. A maioria crê que tenham uma missão benevolente e uma filosofia espiritual. É como se fossem nossos 'irmãos cósmicos'." Enfim, entre os abduzidos não há unanimidade de pensamento sobre o que levam os extraterrestres a abduzirem pessoas e implantarem dispositivos em seus corpos. "Não existe análise crítica suficiente, mas aprendi mais em conversas com outros abduzidos do que em leituras sobre o tema ", finaliza Dorothy. Seja como for, o importante a considerar aqui é o quadro clínico das vítimas de ETs como um todo. Somente os resultados dos testes físicos dos implantes não são suficientemente substanciais para resolverem o mistério, por mais que procuremos não abordar a presença alienígena na Terra. As reais experiências dos abduzidos nos mostram que precisamos urgentemente parar e pensar a respeito. A resposta para o enigma se encontra em algum lugar entre a Ciência e o coração das pessoas envolvidas.


Eve Frances Lorgen é psicóloga de aconselhamento, tendo dirigido grupos de suporte a abduzidos. Seu endereço é: A/c Mutual UFO Network (MUFON), 103 Oldtowne Road, Seguin, TX 78155-4099, EUA. Este texto foi traduzido por Ricardo Trovão, da Equipe UFO.

Fonte: Revista Ufo - 64 - www.ufo.com.br

Copiado de: http://www.fimdostempos.net/chips_ets.html

Implantes alienígenas em pessoas

Quantas pessoas sabem das últimas descobertas (provas físicas) de implantes extraterrestres? A partir da pesquisa do cirurgião podiátrico,Roger Leir(recém falecido), cientista de materiais químicos (e especialistas tecnológicos de nano tubos) Steve Colbern e o físico Robert Koontz.

Os Implantes alienígenas Greys são um fenômeno mundial, ou talvez por zonas localizadas, mas em muitos casos eles são fisicamente detectáveis. Você já notou um objeto estranho depois de um sonho estranho ou paralisia do sono? Pois saiba que implantes alienígenas reais já foram encontrados.

De que são feitos? Muitas vezes “Meteoric Ferro” (com isótopos não-terrestres) com cobalto e quantidades significativas de irídio. Eles têm razões isotópicas que não ocorrem naturalmente na Terra. Um era de uma classe de meteoritos de ferro-níquel chamados hexahedrites. Especulativamente: isótopos mais pesados e ​​podem ter sido formados perto do núcleo galáctico e ou devido à supernovas.

Eles são normalmente irregulares e cobertos com uma casca oleosa e um revestimento duro que impede a rejeição do corpo. Não produzem resposta imunológica. O tecido biológico cresce a partir do metal. Isto foi visto com EDX Microscopia Eletrônica.

Alguns dos implantes emitem sinais de rádio FM de radiação eletromagnética antes da remoção de frequências relacionadas com escalares de 93 MHz, 15 MHz, até mesmo uma frequência utilizada nas comunicações de satélites espaciais. Parecem ter um revestimento de superfície, sensível ao fônons, a fim de retransmitir ondas sonoras. Se você quebrá-los, eles se remontam (Bob Koontz). Há eletrônica de nano tubos de carbono nesses dispositivos não encontrados na natureza (Steve Colbern). Eles parecem ser nano tubos de parede simples. Steve Colbern, cientista químico material, nano-técnico diz que é tecnologia muito avançada para a Terra (e possivelmente encoberta na Terra). Roger Leir menciona que eles são frequentemente encontrados em muitos lugares, não só superficialmente no corpo, mas também perto de ossos. As células nervosas se conectam aos dispositivos! Alguns dos objetos têm fortes campos magnéticos de mais de 10 milligauss.

Cerca de 15% dos abduzidos mostram significativa fluorescente, brilha na área da pele por até 1 mês (detectáveis ​​com UV-A, mas mais com UV-B e UV-C). Detectores de metais, raios-X e medidores de Gauss podem detectá-los no corpo. Mas é claro que com raios-X, é difícil localizá-los, as tomografias podem localizá-los com mais precisão.

Muitas vezes, não há sinais visíveis de entrada. Se os sinais de entrada são detectados logo após um evento de implante eles fecham-se e não deixam nenhuma marca em um dia ou dois. Cerca de 24 implantes já foram recuperados. Alguns têm rômbicas estruturas cristalinas regulares, orto de cloreto de sódio, que são retangulares e variam em tamanho (Steve Colbern). Talvez eles sejam usados ​​para gerar freqüências de rádio escalares (Bob Koontz). Muitas vezes, o cirurgião podiátrico, Roger Leir, tentou removê-los com aço cirúrgico, para evitar o uso do bisturi.

Se cerca de 2% da população dos EUA tem vários sinais de abdução é realmente um indicativo de que talvez o número de pessoas implantadas seja, relativamente falando, muito grande. Se isto é real. Quantas pessoas estão sendo implantadas ou monitoradas de outras maneiras por seres ETs não-cinzas?

Dr  Roger Leir  Evidência Física de Implantes Alienígenas

NOTA ETs & ETc…: O dr. Roger Leir, infelizmente falecido recentemente, alertou que em alguns casos é possível descobrir se há um implante em seu corpo, passando próximo ao local suspeito, uma LUZ NEGRA. Alguns implantes fazem a pele fulgurar em contato com este tipo de iluminação. Outra coisa impressionante que o dr. Leir descobriu empiricamente em suas cirurgias, é que em alguns casos, um implante quando retirado do corpo do implantado e limpo, se desintegrava, simplesmente desaparecia. Para evitar que isso ocorresse mais vezes ele começou a adotar a seguinte prática: Retirava um pouco do sangue do implantado e colocava em um recipiente, depois retirava o implante e sem demora colocava-o no recipiente com o sangue do implantado. De alguma forma o implante, depois de um determinado tempo, fora do corpo do implantado(sem o contato com o seu sangue) se desintegrava. Já pensou que tecnologia é essa? Será que estão muito à nossa frente ???

http://www.etseetc.com/

Fonte: http://verdademundial.com.br/2014/04/saiba-mais-sobre-implantes-alienigenas/

quinta-feira, 26 de março de 2015

Implantes extraterrestres

implantes - diminutos dispositivos, normalmente da ordem de milímetros, implantados por extraterrestres (ou em alguns casos por militares) em abduzidos e contatados; suas funções são desconhecidas, mas algumas hipóteses são: monitoramento; localização; manipulação mental; alterações biológicas; indução de poderes paranormais artificialmente.

Você sabia disso?

É o que iremos discutir, entre outras coisas, na nossa Reunião Plenária do CSPU amanhã (27/03).

O local: Sala l da CDL de Sobral, que fica situado na Rua Dr. João do Monte 826, no Centro, Sobral - CE. Acontecerá a partir das 19 horas e a entrada é franca. Maiores informações pelo 88 99210172

Centro Sobralense de Pesquisa Ufológica

quarta-feira, 25 de março de 2015

Onde estão todos os alienígenas?

 

Where Are All the Aliens?

Uma pergunta legítima, com muitas possibilidades de resposta. Eles podem estar bem aqui agora. Eles podem estar longe, ignorando a nossa existência. Há ainda a chance de que eles nem possam existir.

Em 1961, a primeira reunião do SETI (sigla em inglês para o instituto de Procura por Inteligência Extraterrestre), na Virgínia do Oeste (EUA), o astrônomo Frank Drake propôs uma equação para aproximadamente calcular o número de civilizações alienígenas em nossa galáxia. Amplamente baseada em dados conjecturais, esta equação resultou num número de aproximadamente 10.000 civilizações avançadas somente em nossa galáxia.

Carl Sagan aumentou a aposta, sugerindo que o número era próximo de um milhão.

Porém, todos estes cálculos foram baseados em suposições de que a vida deva ser baseada em carbono, como a nossa. Pelo que sabemos, o universo poderia abrigar uma gama de formas de vida, baseadas em silício, nitrogênio, arsênio, ou até mesmo elementos que anda não descobrimos.

Como o físico teórico Stephen Hawking uma vez especulou, as estrelas, ou mesmo os buracos negros, poderiam possuir algum tipo de consciência, tornando-os assim formas de vida exóticas. Em algum lugar nas bilhões de galáxias, este cenário poderia estar ocorrendo. As leis da probabilidade até mesmo favorecem esta tese.

Isto levanta a questão do título deste artigo: Onde estão todos os alienígenas? E por que ainda não os encontramos oficialmente?

Esta mesma questão incomodou o físico italiano, Enrico Fermi, há uns 65 anos, levando-o a desenvolver uma hipótese conhecida como o Paradoxo de Fermi. Esta hipótese postula o seguinte:

  • Nosso Sol é uma estrela típica e é muito jovem. Nossa galáxia contém bilhões de estrelas que são muito mais velhas do que a nossa.
  • Há uma grande chance de que algumas destas estrelas possuam planetas como a Terra. Se levarmos a Terra em consideração, torna-se óbvio que alguns desses planetas possam permitir o desenvolvimento de vida inteligente.
  • Algumas dessas formas de vida inteligente poderiam desenvolver a viagem interestelar em algum ponto de sua existência. Novamente, esta suposição é baseada em nossos próprios esforços, que poderiam algum dia nos levar a visitar outras estrelas.
  • Sem mesmo contradizer as leis da física newtoniana através da introdução de viagens mais rápidas do que a velocidade da luz, toda a galáxia poderia ter sido colonizada em questão de milhões de anos. Relativa à idade do universo, este intervalo é muito curto.

Assim, parece razoável que a Terra deveria ter sido colonizada agora. Ou pelo menos visitada. Intrigado pelo universo silencioso, Fermi perguntou “Onde estão todos?”

Um civilização que evoluiu logo após o universo ter iniciado, sua existência deve ter tido bilhões de anos para superar qualquer obstáculo tecnológico que enfrentasse. Com o auxílio da inteligência artificial, tal civilização passaria través de um evento chamado de “singularidade tecnológica”, se tornando algo que nem mesmo conseguiríamos conceber.

A própria humanidade poderia passar por tal cenário, contanto que não nos explodíssemos antes disso. Como uma civilização hiper avançada, poderíamos colher a energia de nosso sol e finalmente a geração de toda a nossa galáxia.

Vamos dar um salto de fé. Suponha que este cenário seja mais do que possível; vamos presumir que seja inevitável. Não deveríamos ser capazes de detectar traços da energia de tal civilização avançada? Ela não deixaria sinais para trás, ou algum tipo de pista? Se algumas raças alienígenas foram capazes de passar pela singularidade, onde estão elas?

Elas poderiam estar se escondendo. Talvez elas deixaram o reino físico em favor ao virtual. Se fôssemos dados a chance, a maioria de nós o faria agora.

Red-and-blue-pills

Falando de forma astronômica, alguns acreditam que a resposta esteja bem na nossa frente. Trata-se da matéria escura.

Você, eu e tudo que é visível ao nosso redor somos feitos de matéria ordinária. Mas toda a matéria ordinária no universo totaliza por volta de 5% do total, enquanto o resto do cosmos é feito de matéria ou energia escuras. Não sabemos quase nada sobre estes grandes compostos que são responsáveis pela continua expansão do universo.

Têm sido sugerido que a matéria e a energia escuras poderiam ser uma forma de computronium, que é uma substância hipotética que converte a matéria em força computacional.

Tal cenário significaria que todo o universo é um computador cósmico usado pela maioria das civilizações avançadas, servindo propósitos que nem mesmo poderíamos compreender. Esta ‘mãe de todos os computadores’ poderia estar executando simulações inimagináveis e, pelo que sabemos, poderíamos estar vivendo dentro de uma dessas simulações neste momento. Este computador poderia até mesmo estar ‘reformatando’ o nosso universo, ou projetando novos, ao mesmo tempo.

Talvez seja por isto que nunca veremos uma civilização hiper avançada; eles estão literalmente muito ocupados gerenciando o universo.

E talvez sejamos parte de uma mente alienígena cósmica, sem mesmo sabermos.

Será isso mesmo?

Fonte: locklip.com

http://ovnihoje.com/2015/03/16/onde-estao-todos-os-alienigenas/